Details

Fenóis totais no cafeeiro em razão das fases de frutificação e do clima.

by Salgado, Paula Rodrigues

Abstract (Summary)
Os vegetais apresentam defesa natural contra os fatores externos, bióticos e abióticos, por meio da síntese de compostos fenólicos no metabolismo secundário, as quais variam com as fases fenológicas e com o clima. O aumento dos compostos fenólicos nas plantas está, diretamente, relacionado com a resistência à infecção por patógenos e à infestação de pragas. Entretanto, pouco se sabe sobre a variação dos teores dessa substância durante os estádios fenológicos do cafeeiro, em particular, nas fases de frutificação, e em razão das condições climáticas. Tais conhecimentos são fundamentais para a previsão dos riscos de ataques aos vegetais, uma vez que a defesa natural da planta deve mudar ao longo do ciclo. O experimento foi realizado em uma cultura de Coffea arabica L., cultivar Obatã IAC 1669-20, instalada no campo experimental do Departamento de Produção Vegetal, da Escola Superior de Agricultura ?Luiz de Queiroz?, Universidade de São Paulo, Piracicaba/SP. Para a realização do experimento foi adotado o delineamento experimental inteiramente casualizado, utilizando quatro tratamentos (plantas com e sem frutos - folhas dreno e plantas com e sem frutos - folhas fonte) e cinco repetições constituídas por plantas individuais. Após a análise de variância dos resultados foi aplicado o teste t de Student ao nível de 5 % de significância para a comparação das médias entre os tratamentos. Os teores de fenóis totais (µg g-1) foram extraídos das folhas maduras (fonte) e novas (dreno) e analisados em relação à produção de café, fenologia e clima. As variáveis climáticas adotadas foram temperatura atmosférica (média, mínima e máxima; oC), radiação global (MJ m-2 dia-1) e insolação diária (h dia-1). Durante a condução do experimento foram realizadas avaliações de altura da planta (cm), diâmetro do caule (mm) e comprimento de ramos plagiotrópicos (cm) para determinar as respectivas taxas de crescimento vegetativo das plantas. As quantidades de fenóis totais determinadas nas plantas com produção (17.40 µg g-1 e 13.89 µg g-1 folhas dreno e fonte, respectivamente) e sem produção de café (18.65 µg g-1 e 12.76 µg g-1 folhas dreno e fonte, nessa ordem) não variaram. No entanto, a concentração de fenóis totais nas folhas novas (dreno) das plantas com e sem produção de café foi maior que a quantidade determinada nas folhas maduras (fonte), da ordem de 25 % e 46 %, respectivamente. A síntese de fenóis nas fases de expansão (16.35 µg g-1) e granação dos frutos (14.68 µg g-1) foi 31 % inferior em relação às quantidades determinadas na fase de maior produção dessas substâncias ? fruto em maturação (21.24 µg g-1). A metabolização de fenóis totais depende, indiretamente, da temperatura (oC) e da radiação global (MJ m-2 dia-1), apresentando tendência inversa em relação a estas variáveis climáticas. A orientação do manejo fitossanitário deve levar em consideração as épocas em que há comprometimento da defesa natural da planta, em relação à produção de substâncias protetivas ? os fenóis.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Jose Laercio Favarin; Jose Laercio Favarin; Oliveiro Guerreiro Filho; José Djair Vendramim

School:Universidade de São Paulo

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords: café clima Coffea arabical crescimento energia solar fenologia folhas ? plantas frutificação insolação

ISBN:

Date of Publication:01/14/2005

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.