Details

Avaliação histologica e imunohistoquimica da maturidade dos plexos mioentericos na gastrosquise experimental de ratos realizada em duas diferentes idades gestacionais

by Gomes França, Willy Marcus

Abstract (Summary)
Na gastrosquise (G), o grau de lesão das alças intestinais exteriorizadas está diretamente relacionado ao tempo de contato com o líquido amniótico (LA) e exposição ao mecônio, que causam alterações morfológicas e histológicas do intestino, além da formação de uma fina camada de fibrina (fibrous peel) sobre a serosa, formando aderências entre as alças intestinais. Estas lesões levam ao hipoperistaltismo intestinal e deficiência na absorção dos nutrientes, contribuindo para o aumento da morbidade e alto custo médico-hospitalar. O hipoperistatismo na G é atribuído à desorganização e à imaturidade dos plexos mioentéricos. Estas características podem servir como marcadores do grau de lesão intestinal, e que podem ser identificados pela presença de neurofilamentos dos plexos nervosos intestinais e sugerir a antecipação do parto. Nesse estudo identificamos as alterações morfológicas e histológicas intestinais e dos plexos mioentéricos em dois diferentes tempos de contato com o LA. A G experimental em fetos de ratas Spreague-Dowley foi realizada em duas idades gestacionais, 18,5o dia (E18,5) e 19,5o dia (E19,5), que foram divididos em 3 subgrupos: controle (C), sham (S) e gastrosquise (G). Medimos o peso corporal fetal (PC), peso (PI) e comprimento intestinais (CI). As camadas da parede intestinal e os plexos mioentéricos foram avaliados pela coloração de H&E e imunofluorescência (?-Internexina), respectivamente. O PC não apresentou diferença significativa entre C/S/G, nos 2 grupos. O PI e CI foram respectivamente maior e menor nos fetos G (p<0,001) nos 2 grupos. Os diâmetros intestinais e as camadas da parede apresentaram diferença significativa entre C/S/G, em ambos os grupos (p<0,001), mas o tempo de contato com LA e exposição ao mecônio comprometeram a serosa e D-II (diâmetro II) (p<0,001), e CI (p=0,001). A ?-internexina apresentou imunorreatividade mais intensa nos fetos G de E18,5. Concluímos que no modelo de G em fetos de ratos, as alterações da parede intestinal, principalmente da camada serosa e do comprimento intestinal, bem como a imaturidade dos plexos mioentéricos, apresentaram-se mais intensas nos fetos cujo contato com o LA e exposição ao mecônio foram mais prolongados (G/E18,5). Estudos experimentais adicionais devem ser desenvolvidos e direcionados para compreensão da motilidade intestinal na G com o objetivo de minimizar os danos neuromusculares nas alças intestinais expostas ao LA e permitir avaliar as supostas vantagens da antecipação do parto para fetos humanos com G
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Lourenço Sbragia Neto; Lourenço Sbragia Neto [Orientador]; Uenis Tannuri; Jose Luiz Martins; Joaquim Murray Bustorff Silva; Antonio Gonçalves de Oliveira Filho

School:Universidade Estadual de Campinas

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:gastrosquise plexo mienterico intestinos gastroschisis myenteric plexus intestines

ISBN:

Date of Publication:11/24/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.