Details

Caracterização floristica e fisionomica da Floresta Atlantica sobre a formação Pariquera-Açu, na Zona da Morraria Costeira do Estado de São Paulo

by Ivanauskas, Natalia Macedo

Abstract (Summary)
Este trabalho procurou caracterizar florística e estruturalmente trechos da Floresta Atlântica presente na Zona da Morraria Costeira do Estado de São Paulo, e apresentar a relação desta com as demais florestas presentes nas outras Zonas da Província Costeira (Serraria Costeira e Baixada Litorânea) e no Planalto Atlântico do mesmo Estado. Para tanto foram escolhidas duas áreas florestais em bom estado de preservação, localizadas no município de Pariquera-Açu. Essas florestas ocorreram sobre dois tipos de solos contrastantes: Latossolo Amarelo (Ultic Hapordothox) e Podzólico Vermelho Amarelo (Epiaquic Hapludult), ambos tendo como material de origem a formação Pariquera-Açu. Seguindo uma rigorosa metodologia de amostragens de solo e serapilheira, não foram encontradas diferenças significativas nos atributos químicos de solo e nem na quantidade de serapilheira acumulada entre as áreas de LA e PVA. Os solos apresentaram baixos teores de nutrientes e elevada saturação por alumínio, diferenciando-se apenas por atributos fisicos. Análises fitossociológicas foram realizadas em quatro áreas de amostragem, sendo duas em áreas de PVA e duas em áreas de LA, subdivididas em parcelas de 1 Ox 10m, totalizando 1,2ha, onde foram amostrados todos os indivíduos com perímetro à altura do peito (PAP) ³ a 15cm. O levantamento florístico foi realizado através de caminhadas de coleta por toda a área amostrada e no interior das parcelas, amostrando todas as espécies em fase reprodutiva. No levantamento florístico foram amostradas 2 espécies de pteridófitas e 484 espécies de fanerógamas, sendo 66 monocotiledôneas e 418 dicotiledôneas. No total foram amostradas 486 espécies, distribuídas em 276 gêneros e 104 famílias. As famílias de maior riqueza específica foram Myrtaceae (48 espécies), Leguminosae (35), Rubiaceae (27), Melastomataceae (26), e Lauraceae (24). Do total de espécies, 48,85% foram árvores e hemiepífitas primárias; 17,1 % lianas; 11,7% epífitas, hemiepífitas secundárias e parasitas; 11,1 % arvoretas e arbustos, 8,8% herbáceas e 2,5% palmeiras, fetos arborescentes e bambus. No levantamento fitossociológico foram amostrados 2112 indivíduos, sendo 1956 vivos, e 156 mortos (107 mortos em pé e 3 árvores e 46 indivíduos de palmito cortados). Os indivíduos vivos apresentaram-se distribuídos em 53 famílias, 113 gêneros e 183 espécies. A família de maior riqueza florística foi Myrtaceae, seguida de Lauraceae e Leguminosae. As espécies de maior valor de importância foram Euterpe edulis, Ficus gomelleira, Sloanea guianensis, Aparisthmium cordatum, Pausandra morisiana, Virola oleifera, Virola gardneri, Sloanea obtusifolia, Alchornea triplinervia e Chrysophyllum flexuosum. Estas espécies, somadas, perfazem 45,21% do valor de importância total. O índice de diversidade de Shannon (H') foi de 4,134 nats/indivíduos e a eqüabilidade (J) foi de 0,793. Foram realizadas comparações florísticas entre localidades presentes no Planalto Atlântico e nas Zonas que constituem a Província Costeira (Serrania Costeira, Morraria Costeira e Baixada Litorânea). Para tanto utilizou-se das listagens de espécies amostradas em levantamentos fitossociológicos dessas localidades, sendo que as mesmas foram agrupadas através de métodos de classificação e ordenação. Foram detectados a presença de quatro blocos distintos. Um destes reuniu os trabalhos efetuados no Planalto Atlântico e os outros três reuniram os trabalhos executados na Província Costeira. Pertenceram a um mesmo grupo as localidades situadas no sopé da Serrania Costeira, da Morraria Costeira e nas áreas de Floresta Ombrófila da Baixada Litorânea. As elevadas altitudes da Serrania costeira constituíram um outro grupo. O mesmo ocorreu com as áreas de restinga da Baixada Litorânea. Os fatores que levaram a distinção florística entre os grupos foram apresentados e discutidos. Foram sugeridas novas áreas para a realização de levantamentos florísticos e fitos sociológicos, visando promover o melhor entendimento da estrutura e da composição florística da Floresta Atlântica do Estado de São Paulo
Bibliographical Information:

Advisor:Reinaldo Monteiro; Reinaldo Monteiro [Orientador]

School:Universidade Estadual de Campinas

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:mata atlantica ecologia

ISBN:

Date of Publication:09/15/1997

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.