Details

Composição floristica e estrutura fitossociologica do estrato herbaceo-subarbustivo em duas areas de floresta ombrofila densa, Parana, Brasil

by Kozera, Carina

Abstract (Summary)
Composição florística e estrutura fitossociológica do estrato herbáceosubarbustivo em duas áreas de Floresta Ombrófila Densa, Paraná, Brasil. Realizou-se o estudo florístico e o fitos sociológico do estrato herbáceo-subarbustivo em duas áreas de Floresta Ombrófila Densa (FOD) no período entre janeiro de 1999 e fevereiro de 2000. As áreas encontram-se localizadas na encosta do morro Bento Alves (Ilha do Mel) e na do morro Facãozinho (Morretes), ambas no Paraná. Os objetivos do trabalho foram listar as espécies de Magnoliophyta e Pteridophyta presentes no estrato herbáceo-subarbustivo, realizar o estudo fitossociológico deste estrato e determinar se o mesmo poderia ser utilizado para caracterizar cada subformação da FOD. Para o estudo florístico foram realizadas coletas quinzenais utilizando-se técnicas usuais de coleta e herborização e, para a determinação das espécies, foram utilizadas bibliografia específica, consultas à especialistas e comparações com exsicatas de herbários. Para o estudo fitossociológico foram alocadas 120 parcelas de 2 x 2m no morro Bento Alves (MBA) e 160 no morro Facãozinho (MF A), incluindo indivíduos herbáceos e subarbustivos com altura igual ou inferior a 1,5m. Foram determinadas a freqüência, a cobertura (absoluta e relativa) e a importância relativa (IR) de cada uma das espécies. Além disto, determinou-se o índice de diversidade de Shannon (H') e o de similaridade de Jaccard entre as áreas estudadas e outras áreas florestais nas quais foram realizados estudos que abordaram o estrato inferior. No MBA foram registradas 99 espécies, 71 gêneros e 36 famílias. Destacaram-se nesta área com os maiores números de espécies Dryopteridaceae (9), Orchidaceae (8) e Piperaceae (8). Para o MF A foram registradas 108 espécies, 66 gêneros e 39 famílias. Destacaram-se nesta área com os maiores números de espécies Dryopteridaceae (15) e Araceae (7). Na análise fitossociológica do MBA foram registradas 59 espécies, 48 gêneros e 29 famílias; e no MF A 57 espécies, 38 gêneros e 27 famílias. Em ambas as áreas destacaram-se no estudo fitossociológico com os maiores números de espécies Dryopteridaceae, Araceae, Piperaceae e Acanthaceae. Foram registradas em média 13 espécies por parcela com cobertura igual a 30,62% na área do MBA, enquanto que no MFA 6 espécies por parcela com 32,75% de cobertura. A diferença de cobertura entre uma e outra área ocorreu principalmente devido ao porte das espécies, as quais foram maiores no MF A. Destacaram-se com os maiores valores de IR no MBA Cyathea corcovadensis, Monstera adansonii e Calathea sp.; e no MFA Philodendron ochrostemon, Stigmatopteris heterocapa e Polybotrya cy/indrica. Os valores de similaridade para as duas áreas de FOD estudadas foram baixos e os dois locais por isto foram considerados diferentes com relação aos seus estratos herbáceosubarbustivos. O estrato inferior parece ser muito diferente do restante da floresta, sugerindo que os fatores que influenciam este estrato possam ser muito diferentes daqueles que influenciam a própria floresta. No entanto, uma explicação das causas destas diferenças ainda permanece desconhecida. Este estudo é importante para ilustrar que a dinâmica que influencia a estrutura de uma comunidade vegetal pode variar enormemente, e que uma formação vegetal aparentemente estável pode apresentar regionalmente comunidades herbáceas-subarbustivas diferenciadas
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Ricardo Ribeiro Rodrigues; Ricardo Ribeiro Rodrigues [Orientador]; Sandro Menezes Silva; George John Shepherd

School:Universidade Estadual de Campinas

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:mata atlantica florestas composição

ISBN:

Date of Publication:03/08/2001

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.