Details

Germinação e conservação de germoplasma de algodão-do-campo (Cochlospermum regium (Mart. ex Schrank) Pilger) - Cochlospermaceae

by Camillo, Julcéia

Abstract (Summary)
O algodão-do-campo é um arbusto de aproximadamente 2 etros de altura, com raízes lenhosas, resistentes e bastante profundas. De ocorrência comum nas áreas de cerrado, caatinga e pantanal das regiões centro-oeste e nordeste do Brasil. Na medicina popular suas raízes são utilizadas na forma de fatias, lascas ou pó, no preparo de decoctos, infusões e garrafadas para o tratamento de infecções uterinas, intestinais e ovarianas, gastrite, úlceras, artrite e afecções da pele. O extrativismo crescente somado á destruição dos habitats naturais, colocaram o algodão-do-campo na lista de espécies medicinais nativas prioritárias para ações de conservação. Os objetivos deste trabalho foram: 1) gerar conhecimentos básicos sobre a biologia do algodão-do-campo (Cochlospermum regium) (Mart. ex Schrank.) Pilger, baseados em estudos de germinação e conservação de sementes em temperatura sub-zero e estabelecer um protocolo para conservação de sementes a longo prazo; 2) adequar uma metodologia para a conservação in vitro do algodão do campo e fornecer subsídios para estudos de micropropagação e conservação da espécie. Foram coletadas sementes de indivíduos adultos em uma população nativa de algodão-do-campo localizada na região do entorno do Distrito Federal. As sementes foram submetidas a diferentes testes para verificar o comportamento germinativo da espécie e seu desenvolvimento inicial sob condições de dessecação e temperatura sub-zero e também nas condições in vitro. No estudo de conservação à longo prazo, observou-se que a melhor condição para germinação desta espécie foi a combinação de escarificação química com ácido sulfúrico por três períodos de 40 minutos cada e germinação no escuro, que apresentou percentual de germinação acima de 80%. As sementes de Cochlospermum regium apresentaram comportamento ortodoxo, uma vez que apresentaram boa tolerância a dessecação (5,3 e 4,5%) e a exposição a temperaturas sub-zero (20°C e NL). Sementes com conteúdo de umidade de 7,9% podem ser armazenadas à temperatura de -20°C, sendo esta uma alternativa viável para a conservação ex situ da espécie. Nos experimentos visando a conservação in vitro, a germinação das sementes de C. regium foi acelerada e uniformizada com a utilização de um período de escarificação química em ácido sulfúrico por 40 minutos. Os dados mostraram que sementes escarificadas apresentaram aos 30 dias após a inoculação um percentual de germinação in vitro de 93,3%, contra apenas 13,3% de germinação das sementes não escarificadas. A conservação da espécie in vitro é viável desde que, as plântulas sejam mantidas em câmara de crescimento a 20°C em meio de cultura ½ WPM, sob estas condições as plântulas mantiveram um crescimento mínimo e percentual de sobrevivência de 100% após três meses de avaliação.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Ricardo Carmona; Jose Ricardo Peixoto; Roberto Fontes Vieira; Jonny Everson Scherwinski Pereira

School:Universidade de Brasília

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:algodão-do-campo conservação ex situ germinação

ISBN:

Date of Publication:04/17/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.