Details

Adesão dos enfermeiros às precauções padrão à luzdo modelo de crenças em saúde

by Sousa Melo, Dulcelene de

Abstract (Summary)
Estudo qualitativo desenvolvido em um hospital público geral de grande porte de Goiânia-Go Teve como objetivo analisar a adesão dos enfermeiros às precauções padrão (PP) à luz do modelo de crenças em saúde (MCS) de Rosenstock (1974) Os dados foram coletados por meio de entrevista com roteiro semi-estruturado e conforme preconizado pela técnica de incidentes críticos (TIC) O instrumento foi validado por juizes seguido do pré-teste Foram observados os aspectos ético-legais da pesquisa Fizeram parte do estudo 82 enfermeiros dos 90 eleitos que estavam em atividade assistencial direta ao paciente ou atuavam nos setores: de higienização hospitalar reprocessamento de roupas e materiais odonto-médico-hospitalares Procedemos a análise de conteúdo dos dados conforme a TIC As dimensões do MCS foram utilizadas como categorias prévias de análise Obtivemos 139 incidentes críticos sendo que 66 foram positivos e 73 negativos de acordo com a polaridade referida Destes 131 situações remetiam às dimensões do modelo de crenças em saúde: 74 (56,5%) eram relacionadas à suscetibilidade percebida; 17 (13,0%) aos benefícios percebidos e 40 (30,5%) às barreiras percebidas Os incidentes críticos relatados predominantemente relacionavam-se às situações de exposição ocupacional a material biológico O uso de barreiras protetoras foi a PP que obteve maior freqüência de indicação A negação da suscetibilidade foi observada pelo não uso das barreiras protetoras no manuseio inadequado de perfurocortante e não adesão às PP relacionadas ao paciente portador de patógeno multi-resistente A moderada suscetibilidade percebida associou-se à adesão parcial às PP no atendimento a pacientes com maior complexidade nos cuidados assistenciais Estes comportamentos adotados sinalizam limitada percepção da necessidade de intervenção nos cuidados pós-exposição ocupacional priorizando o atendimento às necessidades dos pacientes A alta suscetibilidade percebida foi observada nas situações de atendimento ao paciente sob suspeita ou com diagnóstico de infecção por patógenos de importância epidemiológica e àquelas relacionadas à responsabilidade do enfermeiro nesta particularidade da assistência A severidade percebida foi evidenciada somente nos comportamentos e conseqüências dos incidentes críticos relatados nos momentos de pós-exposição ocupacional expressa em sentimentos alterações psicossomáticas e experiência de infecção Os benefícios percebidos emergiram sobretudo dos incidentes críticos positivos com enfoque no uso das barreiras protetoras que foram compreendidas como estratégia de proteção ratificando a segurança na execução dos procedimentos As barreiras percebidas foram: falta de preparo do profissional falta de material de consumo e permanente número insuficiente de profissionais estrutura física inadequada atendimento a pacientes em situações de urgência/emergência fatores psicossociais e falta de fluxo para o atendimento ao profissional em situação de pós-exposição a material biológico; que poderiam ser minimizadas com a organização do Serviço de Assistência à Saúde pois se constituíram em impedimentos para a adesão às precauções padrão embora os enfermeiros apresentassem adequada percepção da suscetibilidade e benefícios Verificamos que as dimensões do modelo de crenças em saúde elucidaram a adesão dos enfermeiros às PP sugerindo que empreendimentos devam ser feitos para melhor instrumentalizá-los para a tomada e modalidade de ação no cotidiano da assistência que priorize a segurança dos sujeitos envolvidos nesse processo
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Anaclara Ferreira Veiga Tipple; Adenicia Custodia Silva e Souza

School:Universidade Federal de Goiás

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:modelo de crenças em saúde infecção hospitalar enfermagem ENFERMAGEM Infecção ? Cuidados Modelo Reconhecimento padrões

ISBN:

Date of Publication:03/31/2005

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.