Details

Análise de sobrevida de pacientes renais crônicos em hemodiálise Survival Analysis of Chronic Renal Patients in Hemodialysis

by Graças Costa, Fernanda das

Abstract (Summary)
O elevado número de pacientes renais crônicos em hemodiálise no Brasil e a escassez de dados acerca de sua sobrevida justificam a necessidade da realização de estudos nesse campo. Conhecer o perfil de morbidades dessa população e verificar as taxas de sobrevivência desses indivíduos. Estudo observacional longitudinal retrospectivo, de seguimento de pacientes renais crônicos em hemodiálise por mais de três meses, em cinco unidades de diálise de Fortaleza (CE). Pacientes de 18-88 anos de idade foram incluídos no estudo no período de janeiro/1998 a dezembro/2000 e acompanhados até dezembro/2004. Os dados foram obtidos mediante registros em arquivos nos respectivos centros de tratamento, através de formulário padronizado com informações acerca de dados sócio-demográficos, história clínica, uso de medicamentos e parâmetros laboratoriais. Na análise estatística foram utilizados o teste exato de Fisher, Student (t) e Wilcoxon; considerando-se o nível de significância p lt; 0,05. As curvas de sobrevida foram construídas pelo método de Kaplan-meier e com teste de diferença por log rank. Foram acompanhados 239 pacientes com uma média de idade de 45 ± 16,6 anos; a maioria pertencia ao sexo masculino e era casada (56,9% e 54,0%, respectivamente). Os principais diagnósticos de base da doença renal crônica em fase terminal foram: o diabetes mellitus, a hipertensão arterial, as glomerulonefrites e as causas indeterminadas (19,7%, 19,2%, 13,4% e 28,0%). Dentre as comorbidades, as mais freqüentes foram: hipertensão arterial (64,0%), infecções (55,2%), diabetes mellitus (20,1%) e doença cardíaca (20,1%). Ao término do estudo, 49 pacientes foram a óbito (20,5%). Os medicamentos mais utilizados foram os relacionados ao sistema cardiovascular (50,3%), sendo os agentes com ação no sistema renina-angiontensina (21,8%) e outros anti-hipertensivos (10,0%) os mais usados. Dos pacientes acompanhados, 81,2% usaram ferro endovenoso e 89,1%, eritropoetina recombinante humana. A sobrevida atuarial foi de 94,3%, 88,9%, 84,4%, 78,7% e 75,5%, aos 12, 24, 36, 48 e 60 meses, respectivamente. Os pacientes diabéticos apresentaram sobrevida significantemente inferior aos não-diabéticos (plt;0,001). Pacientes brancos (p=0,004), aqueles com mais de 60 anos (plt;0,001) e, os que usaram uma dose de ferro inferior a 8000mg (p=0,002) também apresentaram sobrevida significantemente menor.A sobrevida atuarial foi de 94,3%, 88,9%, 84,4%, 78,7% e 75,5%, aos 12, 24, 36, 48 e 60 meses, respectivamente.
Bibliographical Information:

Advisor:Helena Lutéscia Luna Coelho; Maria Goretti Rodrigues de Queiroz; Henry de Holanda Campos

School:Universidade Federal do Ceará

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:farmacia diálise renal análise de sobrevida insuficiência crônica hemodialysis survival end stage failure insuficiencia taxa ceará falência mortalidade

ISBN:

Date of Publication:07/04/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.