Details

Produção de inóculo, efeito de extratos vegetais e de fungicidas ereação de genótipos de soja à Sclerotinia sclerotiorum

by Garcia, Riccely Ávila

Abstract (Summary)
A podridão branca da haste causada por S. sclerotiorum vem aumentando em campos decultivo de soja, devido ao cultivo de espécies altamente suscetíveis na safrinha e autilização de sementes contaminadas por S. sclerotiorum. Estudos envolvendo produçãode inóculo, controle alternativo e químico, metodologia de inoculação e resistência degenótipos de soja à Sclerotinia sclerotiorum constituíram os objetivos deste trabalho. Osexperimentos foram conduzidos no Laboratório de Micologia e Proteção de Plantas ?LAMIP da Universidade Federal de Uberlândia. Os isolados utilizados foram obtidos deplantas de soja provenientes de Jataí-GO e Indianópolis-MG. Quanto à produção deescleródios, os resultados demonstraram que meios de cultura combinados com fubáforam mais promissores, tanto no rendimento, quanto no número de escleródios. Osmeios de cultura feijão e girassol foram os mais promissores. Quanto às doses de fubáde milho, trigo para ?kibe? e farinha de mandioca, o rendimento e número deescleródios decresceram com o aumento das concentrações. A concentração de 20%proporcionou maior produção de escleródios para os três complementos. Em relação aocontrole alternativo, os resultados demonstraram que a maior inibição do crescimentomicelial está diretamente proporcional ao aumento das doses de Azadirachta indica. Ainteração A. indica e Pongamia glabra foi significativa, sendo a dosagem de 1/3 de P.glabra a mais eficiente, com 65% de inibição. Quanto aos extratos vegetais, o fruto dePiper aduncum foi o mais promissor sobre a redução do crescimento micelial, com 43%de inibição. Os resultados referentes ao controle químico "in vitro" demonstraram queos fungicidas flutriafol, fluazinam, propiconazol, epoxiconazol + piraclostrobina,tebuconazol + trifloxistrobina, tebuconazol, ciproconazol + propiconazol, ciproconazol,fluquinconazol, tetraconazol, procymidone, iprodione, ciproconazol + trifloxistrobina,epoxiconazol, miclobutanil e difenoconazol inibiram o crescimento acima de 98% paraos dois isolados. Quanto ao ensaio ?in vivo?, houve diferença no efeito dos fungicidas,quando aplicados preventivamente e curativamente. O fungicida iprodione controloumelhor a doença, tanto em aplicações preventivas, como curativas. Quanto àsinoculações em diferentes estádios de desenvolvimento de plantas de soja, os resultadosdemonstraram que as menores porcentagens de severidade da doença foram diretamenteproporcionais à idade das plantas, determinando-se como estádios ideais de inoculaçãoos estádios V2 (folhas e hastes) e V3 (folhas). Em relação aos métodos de inoculações, odisco permanente proporcionou resultados mais consistentes, seja em órgãos destacadoscomo na própria planta, resultando em correlação significativa. Quanto à seleção degenótipos de soja, apenas 19 genótipos se comportaram como resistentes emoderadamente resistentes pelo método de inoculação na folha destacada. Eminoculações na planta, apenas 2 genótipos destes 19 foram moderadamente resistentes eos demais moderadamente suscetível a suscetível, gerando correlação não significativa. CAPÍTULO 2: Considerando a biologia de Sclerotinia sclerotiorum, os escleródios são fundamentaisem seu ciclo de vida, pois são precursores dos apotécios e conseqüentemente dosascosporos e produção de hifas. Estudos envolvendo o patógeno exigem adisponibilidade de inóculo. Desta forma, o objetivo deste trabalho foi avaliar meios decultura à base de vegetais e concentrações de fubá de milho, farinha de mandioca e trigopara ?kibe? sobre a produção de escleródios. Os meios de cultura à base de vegetaisestudados foram: cenoura, repolho, soja, couve-flor, feijão, tomate, girassol, vagem,batata, batata-doce e abóbora, com e sem adição de fubá de milho. Em relação ao ensaiode concentrações de fubá de milho, trigo e farinha de mandioca, as concentraçõesestudadas foram: 0, 5, 20, 35, 50, 65, 85 e 100% em adição ao substrato feijão. Osmeios de cultura estudados nos dois ensaios foram umedecidos com água destilada. OsErlenmeyers contendo os meios de cultura foram esterilizados a 120ºC, por 20 minutos.Após 12 horas de resfriamento dos meios de cultura, 5 discos de micélio de 6 mm dediâmetro foram inoculados em cada frasco de erlenmeyer. Os frascos foram incubados a22 ± 3ºC e fotoperíodo de 12 horas, durante 30 dias consecutivos (meios de cultura àbase de vegetais) e 45 dias (concentrações de fubá de milho, trigo e farinha demandioca). Decorrido o período de incubação, os escleródios foram separados do meiooriginal através de lavagem em água corrente sobre malha de 2 mm. Os escleródiosforam secos sobre papel toalha, por 48 horas, a temperatura ambiente. Em seguida,determinou-se o peso e o número de escleródios. Com base no peso dos escleródios,determinou-se o rendimento para cada meio de cultura estudado. Pelos resultadosobtidos, verificou-se que meios combinados com fubá de milho foram maispromissores, independente do vegetal utilizado, tanto no rendimento, quanto no númerode escleródios, sendo que os melhores foram os meios de cultura a base de feijão egirassol. Quanto às concentrações de fubá de milho, trigo e farinha de mandioca, orendimento e número de escleródios decresceram com o aumento das concentrações. Aconcentração de 20% proporcionou maior produção de escleródios, sendo fubá de milhoe trigo os mais promissores. CAPÍTULO 3: O uso constante de defensivos agrícolas na agricultura tem despertado a busca porprodutos naturais e sistemas de produção que causem menos impacto ao homem e aomeio ambiente. As plantas, por apresentarem uma diversidade de substâncias em suacomposição, muitas vezes com potencial fungicida ou fungistático, vêm sendoestudadas para síntese de novos fungicidas no futuro como também na indução deresistência as plantas, ou ainda, serem utilizadas diretamente pelo produtor com aaplicação do extrato da planta cultivada. Considerando a importância do patógeno S.sclerotiorum para cultura da soja e demais culturas, este trabalho teve como objetivoestudar o efeito de óleo e extratos vegetais sobre o crescimento micelial do fungo.Concentrações de 25, 50, 75 e 100 ppm do ingrediente ativo azadiractina do óleo deAzadirachta indica foram estudadas em associação as doses de 0, 1/3, 1/6, 1/8 e 1/10 doóleo de Pongamia glabra. As doses de P. glabra foram obtidas sobre o volume do óleode A. indica utilizado para obter as concentrações de 25, 50, 75 e 100 ppm de A. indica.No ensaio de extratos vegetais, as plantas estudadas foram: aroeirinha (Schinus molleL.), mentrasto (Ageratum conyzoides L.), alfafaca (Ocimum spp. L.), losna (Artemisiaabsinthium L.), jambolão (Syzygium cumini (L.) Skeels), arruda (Ruta graveolens L.),mandioca (Manihot esculenta Crantz), Santa Bárbara (Melia azedarach L.) e pimentalonga (Piper aduncum L.) Os extratos vegetais foram incorporados ao meio BDA naconcentração de 30%. As partes botânicas estudadas foram as folhas, com exceção depimenta longa que, além da folha, estudou-se o fruto. Para os dois ensaios, o tratamentotestemunha foi utilizado como controle negativo e o fungicida procimidone a 10 ppm doingrediente ativo como controle positivo. O delineamento experimental foi ointeiramente casualizado com 3 repetições (ensaio ? óleos vegetais) e 5 repetições(ensaio ? extratos vegetais). Os tratamentos foram adicionados após a autoclavagem domeio BDA, com a temperatura baixa. Após a solidificação do meio, discos de micéliode 6 mm de diâmetro foram depositados no centro das placas de Petri, e estas foramincubadas a temperatura de 22 ± 3ºC e fotoperíodo de 12 horas por 48 horas. Asavaliações foram iniciadas 24 horas após a incubação, perdurando até 48 horas após,momento em que as colônias fúngicas do tratamento testemunha atingiram toda asuperfície do meio. Através dos dados, calculou-se a porcentagem de inibição docrescimento micelial. Os resultados demonstraram que a maior inibição do crescimentomicelial foi diretamente proporcional ao aumento das concentrações de A. indica e P.glabra. A interação entre A. indica e P. glabra foi significativa, sendo a dosagem de 1/3de P. glabra a mais eficiente com 65% de inibição. Nenhuma dosagem inibiu ocrescimento em 100% igual ao fungicida procimidone. Quanto aos extratos vegetais, ofruto de Piper aduncum foi o mais promissor sobre a redução do crescimento micelial,com 43% de inibição. CAPÍTULO 4: O controle químico da podridão branca da haste da soja vem sendo realizado com baseem estudos já realizados sobre o mofo branco na cultura do feijoeiro. O objetivo destetrabalho foi avaliar fungicidas de diferentes grupos químicos sobre S. sclerotiorum ?invitro? selecionando-os para ensaios ?in vivo?. Os fungicidas flutriafol, fluazinam,propiconazol, epoxiconazol + piraclostrobina, tebuconazol + trifloxistrobina,tebuconazol, ciproconazol + propiconazol, ciproconazol, fluquinconazol, tetraconazol,procimidone, iprodione, ciproconazol + trifloxistrobina, epoxiconazol, vinclozolin,protioconazol, azoxistrobina + ciproconazol, clorothalonil + tiofanato metílico, flutriafol+ tiofanato metílico, miclobutanil, difenoconazol, carbendazim, benomyl, carboxin +thiram, tiofanato metílico, quintozeno, pencicuron, clorothalonil e azoxistrobina foramavaliados sobre o crescimento micelial de dois isolados de S. sclerotiorum, originadosde Jataí-GO e Indianópolis-MG, em delineamento inteiramente casualizado, com 3repetições. Após a solidificação do meio contendo a concentração de 100 ppm doingrediente ativo, discos de micélio de 6 mm de diâmetro foram depositados no centrodas placas de Petri. As placas foram incubadas a temperatura de 22 ± 3º C e fotoperíodode 12 horas. As avaliações foram iniciadas 24 horas após a incubação, perdurando até48 horas para o isolado de Jataí e 72 horas para o isolado de Indianópolis. Através dosdados, calculou-se a porcentagem de inibição do crescimento micelial. O ensaio ?invivo? foi realizado apenas com o isolado de Jataí em inoculações na cultivar FMTTabarana no estádio V3. Os fungicidas utilizados em aplicações preventivas e curativasforam fluazinam, epoxiconazol + piraclostrobina, tebuconazol + trifloxistrobina,tebuconazol, ciproconazol + propiconazol, procymidone, iprodione, vinclozolin,protioconazol, azoxistrobina + ciproconazol e tiofanato metílico. O delineamentoexperimental foi o inteiramente casualizado, com 4 repetições. As avaliações foramrealizadas 72 horas após a incubação a temperatura de 22 ± 3º C e fotoperíodo de 12horas, através de escala diagramática elaborada com a utilização do programa Quant. Osresultados ?in vitro? demonstraram que os fungicidas flutriafol, fluazinam,propiconazol, epoxiconazol + piraclostrobina, tebuconazol + trifloxistrobina,tebuconazol, ciproconazol + propiconazol, ciproconazol, fluquinconazol, tetraconazol,procymidone, iprodione, ciproconazol + trifloxistrobina, epoxiconazol, vinclozolin,protioconazol, azoxistrobina + ciproconazol, clorothalonil + tiofanato metílico, flutriafol+ tiofanato metílico, miclobutanil e difenoconazol inibiram acima de 98% ocrescimento micelial para os dois isolados. Quanto ao ensaio ?in vivo? houve diferençano efeito dos fungicidas, quando aplicados preventiva e curativamente. O fungicidaiprodione comportou-se melhor sobre a doença nos dois modos de ação. CAPÍTULO 5: A reação de genótipos de soja à Sclerotinia sclerotiorum, bem como, os estádiosfenológicos e métodos de inoculação eficientes para seleção de genótipos de soja àpodridão branca da haste ainda não foram bem determinados. Desta forma, os objetivosdeste trabalho foram determinar o melhor estádio fenológico e método de inoculação deS. sclerotiroum em genótipos de soja e estudar a resistência parcial à doença podridãobranca da haste. Para determinação dos estádios de inoculação, estudou-se os estádiosfenológicos V1, V2, V3, V4 e R1 das cultivares MG/BR-46 (Conquista) e M-Soy 8200.Quanto aos métodos de inoculações, foram estudados disco de BDA ?permanente?contendo micélio, permanecendo na folha até a avaliação, disco 24 horas, 24 horas apósa inoculação o disco foi retirado, e disco toque, sendo este depositado e em seguidaretirado. As inoculações ocorreram tanto nas folhas e nas hastes destacadas das plantas,quanto nas próprias plantas das cultivares MG/BR-46 (Conquista) e M-Soy 8200.Quanto a reação de genótipos de soja à doença, estudou-se 90 genótipos de soja queforam inoculados com disco de BDA permanente na folha destacada, acondicionada emcaixas de gerbox. Dentre os 90 genótipos de soja avaliados, os que se comportaramcomo resistentes e moderadamente resistentes foram avaliados em inoculações naprópria planta. As avaliações foram realizadas 72 horas após a incubação, a temperaturade 22 ± 3ºC e fotoperíodo de 12 horas, com base em escala diagramática elaborada coma utilização do programa Quant. O delineamento experimental adotado para os ensaiosfoi o inteiramente casualizado, com 3 repetições. Os resultados demonstraram que amenor severidade da doença foi diretamente proporcional à idade das plantas,determinando-se como estádios ideais de inoculação V2 (folhas e hastes) e V3 (folhas).Em relação aos métodos de inoculações, o disco permanente proporcionou melhoresresultados para inoculação de S. sclerotiorum em variedades de soja, tanto para órgãosdestacados, como na planta, proporcionando uma correlação significativa. Quanto àseleção de genótipos de soja, apenas 19 genótipos se comportaram como resistentes emoderadamente resistentes, pelo método de inoculação na folha destacada. Quandoestes 19 genótipos foram inoculados na própria planta, apenas 2 foram moderadamenteresistentes e os demais moderadamente suscetíveis a suscetíveis. Neste caso, acorrelação não foi significativa, possivelmente devido ao número de genótiposutilizados que foram apenas dois (suscetíveis), para avaliação dos métodos deinoculação, e 19 com reação diferenciada, para avaliação da resistência.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Jonas Jäger Fernandes; Francisco Xavier Ribeiro do Vale; Murillo Lobo Júnior; Fernando César Juliatti

School:Universidade Federal de Uberlândia

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:AGRONOMIA Produção de escleródios Controle alternativo e químico Métodos inoculação Resistência Meios cultura Concentrações Extratos aquosos óleos vegetais Crescimento micelial Fungicidas Podridão branca da haste Estádios fenológicos inoculações resistência soja Soja - Doenças pragas

ISBN:

Date of Publication:03/07/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.