Details

Predição da performance aeróbia por meio de testes de campo e de laboratório em corredores de endurance

by Vieira, George

Abstract (Summary)
O objetivo deste estudo foi relacionar variáveis fisiológicas obtidas em testes progressivos máximos (TPM) em laboratório e campo; além de predizer a performance nas provas de 1,5 km, 5 km e 10 km. Dez corredores de meio-fundo e fundo (28,3 ± 6,8 anos e 10,6 ± 3,1% de gordura), de nível regional, realizaram um TPM na esteira, iniciando em 12 km.h-1 (1% de inclinação), incrementos de 1 km.h-1 a cada 3 minutos (30s pausa). Foram identificadas as intensidades de limiares de transição (LT) adotando: a) concentração fixa 3,5mmol L-1(v3,5); b) o Dmáx na curva de lactato sangüíneo [la] (vCheng); c) menor relação [la] e carga, adicionando-se o valor de 1,5mmol L-1 (vBerg); d) carga que precede o segundo incremento consecutivo na [la] maior que 0,5 mmol L-1 (vBaldari). O VO2max medido direto (VO2máxLab) e a velocidade máxima aeróbia (VMALab) foram identificados conforme Billat et al. (1994). O TPM na pista iniciava com 8 km.h-1 e incrementava 1 km.h-1 a cada 2min. O VO2max foi predito (VO2máxLB) pela equação de Léger e Boucher (1980) e a VMA (VMALB) foi ajustada (KUIPERS et al., 1985). O LT foi identificado: a) por inspeção visual da freqüência cardíaca (FC) (vConconi), b) Dmax da curva de FC (vKara). As performances máximas realizadas foram: 1,5 km (287 ± 12s), 5 km (1088 ± 46s) e 10 km (2308 ± 94s). O VO2max obtido em laboratório foi significantemente maior que o estimado em pista (71,4 ± 6,3mL.kg-1.min-1 vs 65,54 ± 2,31mL.kg-1.min-1 e r= -0,51; ns), com valores similares de VMALab = 18,4 ± 0,7 km.h-1 e VMALB= 18,6 ± 0,7 km.h-1 (r =0,64; p=0,04). Também não foram encontradas diferenças significantes entre os LT, expressos em valores absolutos e relativos a VMA (v3,5= 14,9 ± 0,7 km.h-1, 81,2 ± 5,6 %; vCheng= 15,3 ± 0,6 km.h-1, 83,0 ± 3,2 %; vBerg= 15,4 ± 0,7 km.h-1, 83,6 ± 5,4%; vBaldari= 14,6 ± 0,7 km.h-1, 79,5 ± 5,2%; vKara= 15,1 ± 0,9 km.h-1, 81,3 ± 5,59%; vConconi= 15,1 ± 1,8 km.h-1, 81,0 ± 8,6%). Foram encontradas correlações significantes entre as v3,5 e vBerg (r= 0,95), v3,5 e vBaldari (r= 0,79), vBerg e vBaldari (r= 0,79) e significantes entre as %VMA de v3,5 e vCheng (r= 0,81), v3,5 e vBerg (r= 0,98), v3,5 e vBaldari (r= 0,89), vCheng e vBerg (r= 0,79), vCheng e vBaldari (r= 0,78) vBerg e vBaldari (r= 0,88). A VMA foi a principal variável determinante da performance nas provas de 1,5 km (VMALab= 62% e VMALB= 78%) e 5 km (VMALab= 35% e VMALB= 66%). Por outro lado, os LT apresentam melhor predição na prova de 10 km (v3,5= 35% e vKara= 73%). Desta forma, os TPM em pista e esteira identificam intensidades similares associadas ao LT e VMA. Contudo, o TPM em pista fornece índices fisiológicos com maior capacidade de predizer a performance nas provas de 1,5 km, 5 km e 10km.
Bibliographical Information:

Advisor:Rosane Carla Rosendo da Silva; Luis Guilherme Antonacci Guglielmo; Fernando Roberto De-Oliveira; Fabrízio Caputo

School:Universidade Federal de Santa Catarina

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:corridas aptidão física desempenho testes avaliação educacao fisica

ISBN:

Date of Publication:12/10/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.