Details

Caracterização da resistência do algodoeiro a Ramularia areola e variabilidade molecular do patógeno

by Lucena, Valeska Silva

Abstract (Summary)
Este estudo teve como objetivos estudar a estrutura genética e patogênica de isolados de Ramularia areola do Brasil e caracterizar a resposta de resistência no algodoeiro à mancha-de-ramulária. Foi avaliada a variabilidade genética de 28 isolados do patógeno, utilizando-se marcadores RAPD. A avaliação da patogenicidade de 6 desses isolados foi realizada após a inoculação nas variedades Guazuncho-2 (Gossypium hirsutum) suscetível e VH8-4602 (Gossypium barbadense) resistente à doença. A herança da resistência no algodoeiro à doença foi caracterizada pela medição de intensidade da doença nas variedades Guazuncho-2 (G. hirsutum), suscetível, e VH8-4602 (G. barbadense), resistente à doença, e nas gerações F1 e F2 provenientes do cruzamento entre elas. O polimorfismo molecular entre as linhagens de G. hirsutum DeltaOpal e CNPA CO11612, contrastantes fenotipicamente quanto à resistência à doença foi avaliado utilizando-se 118 marcadores SSR e 24 AFLP. Para mapeamento molecular dos genes de resistência, linhagens recombinantes RIL?s derivadas do cruzamento entre Guazuncho-2 e VH8-4602 foram genotipadas utilizando marcadores SSR. A análise da estrutura da população de R. areola revelou que as três subpopulações foram semelhantes geneticamente (Gst=0.18). Os isolados de Goiás e Minas Gerais obtiveram maior similaridade genética (0,92), que pode estar associada com o alto fluxo genético existente entre as subpopulações que foi de (Nm=2.20). Quanto à patogenicidade, os isolados de R. areola 9.1, coletado no estado de Minas Gerais, 8.2 e 8.3 de Goiás, foram mais agressivos na variedade suscetível Guazuncho-2. A variedade VH8-4602 apresentou alto nível de resistência à doença. Não foi observada interação diferencial entre os patógenos e as variedades analisadas, sendo a resistência classificada como horizontal. Na análise dos indivíduos das gerações F1 e F2, provenientes do cruzamento entre Guazuncho-2 e VH8-4602, a quantificação de sintomas da doença através da contagem de manchas necróticas e pelo número de esporos mostrou variação contínua da resistência à doença nos indivíduos da geração F2, indicando que a herança é poligênica. O aparecimento de sintomas e esporulação nos indivíduos F1 mostrou que a resistência é recessiva. O polimorfismo molecular entre as linhagens de G. hirsutum, DeltaOpal e CNPA CO11612 foi de 6%, portanto baixo, para realizar o mapeamento. Durante genotipagem das RIL´s foi verificado que 25% dos marcadores segregaram de acordo com as proporções das leis de Mendel, e 75% desses marcadores apresentaram distorção de segregação, com aumento da proporção de genes do parental G. hirsutum. A baixa variabilidade do patógeno e número de genes de resistência sugere que a resistência genética ao patógeno tenha alta durabilidade
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Nelson Dias Suassuna; Lúcia Vieira Hoffmann; Marc Giband

School:Universidade Federal do Rio Grande do Norte

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Resistência genética

ISBN:

Date of Publication:02/23/2007

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.