Details

Validade da ?escala de depressão geriátrica? em unidades primárias de saúde na cidade de Fortaleza, Ceará

by Castelo, Milena Sampaio

Abstract (Summary)
Introdução ? Depressão é um dos transtornos psiquiátricos mais comuns em pessoas idosas, estando associada à maior morbimortalidade e aumento de custos. Apesar disto, 30 a 50% dos casos permanece não identificada e sem tratamento, o que tem motivado o desenvolvimento de instrumentos de rastreamento a serem utilizados na prática clínica. Um dos mais amplamente utilizados é a Escala de Depressão Geriátrica (Geriatric Depression Scale ? GDS) que tem sido amplamente validada em amostras de serviços especializados e terciários. Poucos estudos em outros países, e nenhum no Brasil, no entanto, avaliaram o desempenho da GDS em nível primário de saúde, o que torna incerta a generalização dos resultados para esse contexto, onde a maioria das pessoas idosas com depressão é efetivamente atendida. Objetivos ? determinar a validade da GDS, nas versões 30, 15, 4 e 1 itens, em nível primário de saúde, através de estimativa da sensibilidade, especificidade, valor preditivo positivo, valor preditivo negativo e razão de verossimilhança. Identificar os melhores pontos de corte dos escores da GDS, em suas diferentes versões, para rastreamento de depressão em nível primário de saúde. Método ? Estudo transversal, com 220 pacientes idosos consecutivamente atendidos em quatro unidades primárias de saúde. Foram aplicados um questionário que forneceu uma visão global do perfil da população estudada; a Escala de Depressão Geriátrica (GDS) e a Entrevista Clínica Estruturada para Transtornos do Eixo I do DSM-IV (SCID-I), assumido como padrão-ouro. Os dois primeiros instrumentos foram aplicados por um entrevistador treinado e a SCID por médico psiquiatra. Resultados ? A prevalência de Episódio Depressivo Maior e/ou transtorno distímico foi de 17,27%. O melhor ponto de corte da GDS 30 foi 10/11 (caso/não caso) que revelou sensibilidade = 92,1% (IC 95% = 77,5 - 97,9%), especificidade = 79,7% (IC 95% = 72,9 ? 85,1%), acurácia = 81,8% e razão de verossimilhança = 4,5. O melhor ponto de corte da GDS 15 foi 4/5 com sensibilidade = 86,8% (IC 95% = 71,1 ? 95,1%), especificidade = 82,4% (IC 95% = 75,9 ?87,5%), acurácia = 83,1% e razão de verossimilhança = 4,9. O da GDS-4 foi 0/1 com sensibilidade = 84,2%(IC 95% = 68,1-93,4%), especificidade = 74,7% (IC 95% = 67,7 ?80,7%), acurácia = 76,30% e Razão de verossimihança = 3,9. A GDS-1 teve uma sensibilidade de 52,6% (IC 95%=36,0 - 68,7%). Conclusões: A GDS-30 é um ótimo instrumento de rastreamento para episódio depressivo maior e/ou transtorno distímico, em unidades de atenção primária, dado sua alta sensibilidade e alto valor preditivo negativo. As versões reduzidas com 15 e 4 itens demonstraram ser bons testes de rastreamento, com a vantagem de requererem menos tempo para aplicação. O uso sistemático da GDS, em unidades de atenção primária de saúde, é recomendado para que haja uma maior identificação desses casos, permitindo tratamento adequado
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Marta Maria das Chagas Medeiros; Maria da Silva Pitombeira; João Macêdo Coelho Filho

School:Universidade Federal do Ceará

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:MEDICINA Idoso Depressão Atenção Primária ? rastreamento Transtorno Depressivo Serviços de Saúde para Idosos à

ISBN:

Date of Publication:03/08/2004

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.