Details

Transtornos depressivos na doença de Parkinson de início precoce

by e Kummer, Arthur Melo

Abstract (Summary)
A doença de Parkinson (DP) é caracterizada por sinais motores comobradicinesia, tremor de repouso, rigidez e instabilidade postural. Entretanto, os sintomas não-motores vêm sendo valorizados por sua alta freqüência e impacto na vida dos pacientes. A DP de início precoce (início aos 50 anos ou menos) possui algumas peculiaridades do ponto de vista clínico, genético e neuropatológico em relação à DP deinício habitual. Existem poucos estudos investigando as manifestações psiquiátricas da DP de início precoce. Os objetivos deste estudo são verificar a freqüência de transtornos depressivos nessa população e avaliar possíveis variáveis clínicas e sócio-demográficas associadas. Foram analisadas as propriedades psicométricas dos instrumentos utilizados para avaliar sintomas depressivos. Também se verificou a presença de outros transtornos psiquiátricos e risco de suicídio. Foi realizado um estudo de corte transversal em que se procederam entrevista e exames psiquiátrico e neurológico, de forma consecutiva, em 48 pacientes com DP de início antes dos 50 anos inclusive(H/M;28/20). Utilizaram-se como instrumentos de avaliação psiquiátrica o Mini-Plus, o BDI e a Ham-D, e de avaliação neurológica, a UPDRS, o HY e a SES. Pacientes apresentaram uma idade média (± DPM) de 50 anos (± 8,0); idade média de início da doença (± DPM) de 40,5 (± 7,4); UPDRS total médio (± DPM) de 46,5 (± 22,6); HY médio (± DPM) de 2,2 (± 0,6) e SES médio (± DPM) de 82,7 (± 12,1). Apenas 60,4% estavam em uso de l-dopa, com dose média (± DPM) de 634,9 mg/dia (± 281,1). Metade dospacientes exibia um transtorno do humor atual; destes, 37,5% eram depressão maior. Transtornos ansiosos estavam presentes em 66,7%, sendo que 54,2% apresentavam fobia social, 31,3%, TAG e 8,3%, transtorno do pânico. TOC ocorreu em uma freqüência de 10,4% e psicose, em 6,3%. O grupo com transtorno depressivo (depressãomaior e distimia), quando comparado com o grupo sem depressão, apresentava escores maiores em UPDRS total, UPDRS-I, UPDRS-II, BDI e Ham-D, além de terem mais fobia social e transtorno do pânico. Gênero feminino, menor nível educacional e sintomas motores iniciados em dimídio direito estavam associados a maior gravidade de sintomas depressivos. O ponto de corte ótimo do BDI (16, segundo cálculo pela curva ROC) apresenta sensibilidade de 70,8% e especificidade de 83,3%. A área sob a curva ROC foi de 0,869, indicando boa propriedade discriminativa. BDI e Ham-D têm boa correlação positiva entre si. O estudo mostra uma freqüência elevada de transtornos depressivos na DP de início precoce, semelhante ao que é relatado na DP de iníciohabitual. No entanto, os transtornos depressivos nessa doença, com freqüência, passam despercebidos ou são subtratados, apesar do grande impacto funcional. O BDI pode ser um instrumento de importante utilidade clínica no reconhecimento da depressão, e a Ham-D, na avaliação de sua gravidade.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Antonio Lucio Teixeira Junior; Francisco Eduardo Costa Cardoso; Humberto Correa da Silva Filho

School:Universidade Federal de Minas Gerais

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Transtorno depressivo DeCS Entrevista psiquiátrica padronizada Sinais e sintomas Idade de início Parkinson, Doença Teses.

ISBN:

Date of Publication:06/21/2007

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.