Details

Terapia antimicrobiana seqüencial: impacto de uma intervenção na adesão em um hospital universitário do Brasil

by Rodrigues, Raquel Melo

Abstract (Summary)
Nos hospitais, costuma ocorrer o uso desnecessariamente prolongado da viaendovenosa (EV) durante o tratamento com antimicrobianos. Isto pode levar a umgrande aumento no tempo e no custo das internações e elevar os riscos deinfecções hospitalares, como a infecção da corrente sanguínea. Portanto,considerando-se aqui, terapia antimicrobiana seqüencial (TAS) como a troca da viaEV para a via oral (VO) durante o curso de tratamento da síndrome infecciosa, estaprática tem sido recomendada com a finalidade de diminuir o tempo de uso doantimicrobiano por via EV, podendo encurtar o tempo de hospitalização. O objetivodo presente estudo foi conhecer a efetividade de uma intervenção no sentido deimplementar a TAS em um hospital universitário do Brasil, com conseqüentediminuição do tempo de uso de antimicrobianos por via EV. O presente estudo foiprospectivo, do tipo antes e depois (de uma intervenção), e foi realizado no Hospitalde Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia, MG, Brasil, um hospitaluniversitário de alta complexidade. Foram avaliados 117 pacientes no período préintervenção(04/04/05 a 20/07/05) e 117 no de intervenção (24/09/07 a 20/12/07),dentre os pacientes internados nas clínicas cirúrgicas, enfermaria de clínica médicae unidade de terapia intensiva de adultos. Entre os períodos pré-intervenção (PPI) ede intervenção (PI) foram elaboradas diretrizes que foram implementadas no período de intervenção juntamente com outras estratégias como medidas educativas esistema de lembrete fixado na prescrição do paciente. Dos pacientes avaliados noPPI e PI, respectivamente, 72 (61,54%) e 75 (64,10%) eram do sexo masculino e 45(38,46%) e 42 (35,90%) do sexo feminino; 53,38 e 51,98 anos foram as idadesmédias e 14,79 e 11,75 dias os tempos médios de cursos de tratamentos por via EV;o ceftriaxone foi prescrito em 23,44% e 21,67% dos tratamentos, e foi o maisprescrito em ambos os períodos; 21,81 e 17,45 dias foram as médias dos tempos deinternação a partir da prescrição do primeiro antimicrobiano, calculadosconsiderando-se artificialmente o tempo máximo como sendo de 60 dias. Gravidadedo caso foi uma das principais justificativas para a prescrição do antimicrobiano pelavia EV no PPI. A troca da via EV para a VO só ocorreu em 4 cursos de tratamentono PPI e em 5 no PI. No PPI e PI, respectivamente, 5 (4,27%) e 6 (5,13%) pacientespermaneceram internados por mais de 60 dias, e 15 (12,82%) e 22 (18,80%)faleceram. Conclui-se que a terapia antimicrobiana seqüencial é muito poucoutilizada e a intervenção proposta, de forma isolada, é ineficaz no sentido deimplementá-la.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Augusto Diogo Filho; Elmiro Santos Resende; Cristina da Cunha Hueb Barata de Oliveira; Miguel Tanus Jorge

School:Universidade Federal de Uberlândia

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Terapia de troca. Controle deantimicrobianos seqüencial Diretriz CIENCIAS DA SAUDE Agentes antiinfecciosos

ISBN:

Date of Publication:09/24/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.