Details

Sobre a questão da escrita em Platão: algumas reflexões

by Carvalho Lobão, Élder de

Abstract (Summary)
No diálogo Fedro assistimos à condenação da escrita. Platão afirma neste diálogo que a escrita embora pareça um remédio (phármakon) para a memória, ela seria na verdade um mal, uma vez que funcionaria como um veneno (phármakon) para a memorização, não para a memória. Assim, Platão porescrito nos diz sua opinião a respeito da escrita e dos limites da escrita, que é entendida como o espaço da ingenuidade e da fragilidade intelectual.Ressaltemos ainda que esta ?condenação? insere-se numa crítica mais ampla visando atacar os outros discursos que também gozavam de prestígio na Grécia de Platão (a poesia e a sofística). Para a consecução do nosso trabalho, inicialmente enfocamos as referências sócio-culturais gregas à época do filósofo. Feito isto, procuramos mostrar as transformações realizadas por Platão na sociedade de seu tempo, que romperam com o longo passado cultural grego, estabelecendo os pilares culturais do ocidente.Além disto apresentamos duas leituras a ?condenação? platônica. A primeira, baseada nos postulados da chamada ?escola de Tübingen? analisa as doutrinas platônicas não-escritas. A Segunda, enfoca os trabalhos da ?teoria dadesconstrução? de J. Derrida. Tentando refletir sobre as diversas interpretações que esta ?condenação? suscitou, tomamo-la como objeto de nosso trabalho.Confrontando estas diversas interpretações procuramos verificar quais são os pressupostos de cada uma delas e em que medida eles poderiam ser opostos ou complementares
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Jeanne Marie Gagnebin

School:Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:mundo grego

ISBN:

Date of Publication:03/30/2000

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.