Details

Resposta da púrpura trombocitopênica idiopática à esplenectomia tardia.

by Bassitt, Rogerio Pastore

Abstract (Summary)
A púrpura trombocitopênica idiopática (PTI) é uma patologia adquirida que leva à redução da contagem de plaquetas, mediada por mecanismo imunológico. O tratamento inicial é a corticoterapia e, se caracterizada a falência ou dependência desta, a esplenectomia é a segunda opção. Autores recomendam que a esplenectomia seja realizada antes de se completarem 12 meses do diagnóstico, apesar de estudos sugerirem que a resposta após este período é semelhante. Neste estudo, pesquisaram-se a eficácia da esplenectomia tardia, as complicações da manutenção da terapia imunossupressora e as complicações hemorrágicas na população com esplenectomia tardia. Analisaram-se prontuários de 39 pacientes com idade de 4 a 64 anos (mediana de 27 anos) ao diagnóstico, submetidos à esplenectomia como procedimento terapêutico de PTI. Classificaram-se as respostas à esplenectomia, observadas na última visita, após 6 meses da cirurgia, em resposta completa (RC) (mais de 150.000 plaquetas/ l) parcial (RP) (de 50.000 a 150.000 plaquetas/ l) ou sem resposta (SR) (menos de 50.000 plaquetas/ l ou necessidade de medicação para controle da PTI). No período anterior à esplenectomia, a prednisona causou efeitos colaterais em 18% dos pacientes. Uma paciente que utilizou azatioprina desenvolveu carcinoma ductal de mama. Outros efeitos colaterais da azatioprina, danazol, colchicina, levamisol e vincristina reverteram após a suspensão das drogas. Não houve mortalidade relacionada à PTI nem às esplenectomias, mas houve mais hemorragias graves (21%) no período pré-operatório. As esplenectomias foram realizadas após 1 a 174 meses (mediana 36 meses) do diagnóstico e a última visita ocorreu depois de 9 a 300 meses (mediana 25,5 meses) da cirurgia. As respostas finais à esplenectomia foram: 16 (44%) RC, 10 (28%) RP, 10 (28%) SR. A comparação entre as respostas dos pacientes que realizaram a esplenectomia antes e as dos que a realizaram após 36 meses não mostrou diferença significativa (p=0,687). A esplenectomia tardia tem eficácia, aferida pela soma das RC e RP, comparável à citada pela literatura. As medicações imunossupressoras produziram mais efeitos colaterais e ocorreram mais hemorragias graves do que as relatadas pela literatura.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Elbio Antonio D''Amico; Joyce Maria Annichino Bizzacchi; Elbio Antonio D'Amico; Elvira Deolinda Rodrigues Pereira Velloso

School:Universidade de São Paulo

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:esplenectomia/efeitos adversos estudos retrospectivos literatura de revisão prednisona/efeitos púrpura trombocitopênica idiopática/cirurgia

ISBN:

Date of Publication:02/07/2002

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.