Details

O estágio não-obrigatório na formação profissional dos(as) assistentes sociais: trabalho precarizado ou processo didático-pedagógico?

by Moreira Rosado, Iana Vasconcelos

Abstract (Summary)
?Coexistem, no universo acadêmico, estágios curriculares obrigatórios e não-obrigatórios, que podem ser remunerados ou não. Diante da constatação de lacunas na concepção, na gestão e na operacionalização do estágio não-obrigatório remunerado, elegemo-lo como objeto de investigação, visando analisá-lo no contexto das mudanças sócio-históricas contemporâneas e de suas inflexões na qualidade da formação profissional no âmbito do Serviço Social. Tal estudo tem como locu de pesquisa a Faculdade de Serviço Social da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (FASSO/UERN), caracterizando-se pela adoção de uma perspectiva de análise qualitativa, na expectativa de desvendar o objeto de estudo para além do que se mostra aparente. Para tanto, realizamos revisão de literatura, análise documental, observação assistemática e entrevista semi-estruturada com estudantes e profissionais das entidades concedentes de estágio. Ainda dentre os procedimentos metodológicos, incluímos aplicação de enquete e conversas informais. Constatamos a existência de lacunas no desenvolvimento dos estágios não-obrigatórios remunerados, ocasionadas pela ausência de supervisão e pela inserção de estagiários/as em setores/atividades desvinculadas da futura profissão destes. A pesquisa permitiu-nos desvelar situações em que a abertura de vagas de estágio ocorre em detrimento da contratação de empregados/as e configuram distanciamento desse componente curricular em relação à área de formação profissional, desvirtuando o caráter educacional dessa atividade. Cientes da coexistência contraditória entre desdobramentos favoráveis e problemáticos do estágio não-obrigatório remunerado para o processo de formação profissional dos/as assistentes sociais, concluímos que essa modalidade de estágio, quando vinculada à intervenção do Serviço Social e sob supervisão de assistente social, a despeito de suas implicações diretas com os interesses do mercado, potencializa o desenvolvimento de competências e habilidades intrínsecas ao processo de formação profissional. Entretanto, se distanciada da área de formação e/ou sem o devido acompanhamento didático-pedagógico, estabelece pouca ou nenhuma interface com a formação dos/as assistentes sociais. Contudo, mesmo distanciadas do exercício e da formação acadêmica na área do Serviço Social e/ou permeadas por fragilidades no processo de ensino-aprendizagem, essas experiências exercem profunda influência na formação dos/as assistentes sociais, podendo fragilizar o compromisso com o projeto ético-político, disseminar a subalternidade da profissão e tornar confuso e conflituoso o processo de construção da identidade profissional. Nesse sentido, as investidas do capital para reduzir os gastos com a força de trabalho, as dificuldades vivenciadas pelas universidades públicas brasileiras para garantir a qualidade do ensino diante da insuficiência de recursos humanos e materiais e a subvalorização dos componentes não-obrigatórios do processo de formação profissional dos/as assistentes sociais são fatores que obstacularizam o reconhecimento e a materialização do potencial didático-pedagógico dos estágios
This document abstract is also available in Spanish.
Bibliographical Information:

Advisor:Rita de Lourdes de Lima; Silvana Mara Morais dos Santos; Sâmya Rodrigues Ramos

School:Universidade Federal do Rio Grande do Norte

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Trabalho Formação Profissional Serviço Social Supervisão Estágio não-obrigatório remunerado SERVICO SOCIAL

ISBN:

Date of Publication:10/23/2007

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.