Details

O ensino de Língua Portuguesa em Moçambique: as desigualdades sociolinguísticas, a produção textual e o fracasso escolar

by Amosse, Salvador

Abstract (Summary)
A presente dissertação tem como objecto de estudo o ensino de Língua Portuguesa emMoçambique na perspectiva das desigualdades sociolinguísticas e produção textual e objectivaexaminar a relação entre as desigualdades sociolinguísticas e a leitura na produção de fracassoescolar e discutir as formas de violência e exclusão que decorrem no sistema educativo vigente.A escolha do tema foi motivada por razões várias, entre elas, o facto de: 1) a língua ser o veículode criação e transmissão cultural; 2) o pensamento humano ser construído e expresso por meio dalíngua; 3) as actividades predominantes na escola serem linguísticas e serem avaliadas na base dalíngua do aluno; 4) o sistema educacional ter uma cultura violenta e excludente, patente nocurrículo escolar; 5) o conhecimento prévio permitir ao aluno a leitura de mundo, a revelação eexteriorização da biblioteca individual por meio da sua língua.Dessa motivação, derivou a questão: Como é que as desigualdades sociolinguísticas e onível de produção textual estão a causar e acentuar o fracasso escolar no ensino e aprendizagemda Língua Portuguesa em Moçambique? As hipóteses para a questãocolocada têm a ver com a cultura violenta e excludente, instalada no currículo e que advém dasdesigualdades sociolinguísticas, e com a leitura que se pretende significativa e interpretativa.Para a consecução dos propósitos definidos, foi adoptada a abordagem qualitativa nosseus enfoques dialécticos e fenomenológico-hermenêuticos. Optou-se por um quadro teórico queenglobasse fundamentos da Linguística, da Didáctica, da Psicologia, da Pedagogia, da Sociologiade Educação e da Filosofia.A abordagem qualitativa foi concretizada no estudo de caso de fracasso escolar naEscola Secundária Geral Paulo Samuel Kankhomba, combinando entrevista, inquérito eobservação naturalista, a partir dos quais foram colhidos resultados que permitiram confirmarque: 1) os sistemas educacionais geram o seu próprio fracasso por meio de uma lógica violenta eexcludente que se encontra instalada no currículo e que advém das desigualdadessociolinguísticas da sociedade e da dimensão de leitura na escola; 2) os projectos educacionaissão ambivalentes no plano involuntário, inconsciente e colectivo, e os seus efeitos reais sãoindependentes das intenções da vontade racional do Homem; 3) quaisquer factores que possamjustificar o insucesso escolar e a incompetência de compreender e interpretar enunciados devemestar relacionados com a formação de competência em leitura, que tem solução na escola, de15onde se deve buscar o desenvolvimento de capacidades e habilidades de construção de sentidos;4) é possível criar e desenvolver uma prática linguístico-escolar libertadora, que vise realizar obem ético, a apropriação da ciência e da técnica e a construção de um mundo de mais bem-estar,paz, justiça e inclusão. Essa prática, entretanto, exige que se aceitem e se saiba trabalhar asdiferenças culturais, linguísticas e cognitivas, pautando-se pela desmistificação e superação dospreconceitos e juízos estereotipados, atribuídos às línguas e aos dialectos na sociedade e naescola
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Neusa Maria Oliveira Barbosa Bastos

School:Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:LINGUA PORTUGUESA leitura fracasso escolar

ISBN:

Date of Publication:12/04/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.