Details

Morfofisiologia Do Dossel E Desempenho Bioeconômico De Ovinos Em Panicum Maximum Cv. Tanzânia Sob Lotação Rotativa Com Quatro Níveis De Suplementação Concentrada

by Fernandes Franco, Roberto Claudio

Abstract (Summary)
Essa pesquisa foi conduzida com o objetivo de avaliar as características morfofisiológicas do dossel e o desempenho bioeconômico de ovinos em pastagem de capim Tanzânia com quatro níveis de suplementação concentrada (0,0; 0,6; 1,2 e 1,8% PV), no período de setembro a dezembro de 2004. O experimento foi conduzido na Fazenda Experimental do Vale do Curu FEVC, pertencente à Universidade Federal do Ceará, localizada no município de Pentecoste CE. O método de pastejo foi o de lotação rotativa com taxa de lotação variável, com período de ocupação de três dias e de descanso de 21 dias. A condição residual adotada consistiu na altura de28,0 cm. O delineamento experimental para os dados do fluxo de biomassa do dossel e para as características estruturais do pasto foi o de parcelas subdivididas, com níveis de suplementação sendo as parcelas e os ciclos de pastejo, as subparcelas, com três e quatro repetições (piquetesamostrais) por tratamento, respectivamente. O delineamento utilizado para os dados de comportamento animal foi o inteiramente casualizado em um arranjo fatorial (4 x 8) com seis repetições (ovinos). Para os dados de desempenho produtivo o delineamento utilizado foi ointeiramente casualizado, com quatro níveis de suplementação e oito repetições (ovinos). Não houve efeito (Pgt;0,10) dos níveis de suplementação e dos ciclos de pastejo sobre a relação F½, com média de 0,69. Para TAlF, houve efeito quadrático (Plt;0,10) dos níveis de suplementação,estimados em 5,04 e 5,70 cm/perf x dia nos níveis de 0 e 1,8% PV. A TAlH e a Pseud não foram afetadas (Pgt;0,10) pelos níveis de suplementação, com médias de 0,10 cm/perf x dia e 18,31 cm, respectivamente. Quanto aos ciclos de pastejo, não foram observadas diferenças (Pgt;0,05) naTAlH dos pastos no ciclo 4 e no ciclo 3, porém a TAlH do pasto no último ciclo foi superior (Plt;0,05) à dos ciclos 1 e 2. O mesmo ocorreu para a Pseud. As variáveis TSFa, TSFp e TST não foram afetadas pelos níveis de suplementação (Pgt;0,10) e nem pelos ciclos de pastejos (Pgt;0,05).Não houve efeito dos níveis de suplementação (Pgt;0,10) e nem dos ciclos de pastejo (Pgt;0,05) para a variável FIL, ficando com média de 11,5 dias. A TCC e a TAC não foram afetadas pelos níveis de suplementação (Pgt;0,10) e nem pelos ciclos de pastejo (Pgt;0,05), com médias de 153,28e 128,70 kg MS/ha x dia, respectivamente. Para os componentes da biomassa pré-pastejo, não foram observados efeitos (Pgt;0,10) dos níveis de suplementação e nem dos ciclos para as variáveis F/P, MSFM, MSFV, MV/MM, MSLV e MSCV. Para a variável ALT, observaram-se diferenças (Plt;0,05) do ciclo 4 em relação aos demais. A MSFT foi afetada (Plt;0,05) pelos níveisde suplementação, onde o pasto com ovinos suplementados ao nível de 0,6% PV foi semelhante (Pgt;0,05) àquelas dos níveis de 0,0 e 1,8% PV, porém foi superior (Plt;0,05) ao nível de 1,2% PV. Não houve efeito (Pgt;0,10) dos níveis de suplementação e nem dos ciclos de pastejo sobre a alturaresidual do pasto, com média de 28,42 cm. Quanto as variáveis MSFTres e MSFMres, não se observaram efeitos dos níveis de suplementação (Pgt;0,10) e nem dos ciclos de pastejo (Pgt;0,05), ficando com médias de 6121 e 2411 kg/ha, respectivamente. Quanto ao efeito dos níveis desuplementação sobre a MSFTres observou-se que o pasto dos ovinos suplementados com o nível de 0,6% PV foi superior (Plt;0,05) àquela do nível de 1,2% PV, porém semelhante (Pgt;0,05) aos demais, o mesmo ocorrendo para MSFMres. Já para MSFVres, observou-se efeito quadrático dosníveis de suplementação, porém não houve efeito dos ciclos. Para a relação MV/MMres, não foram observadas diferenças entre níveis de suplementação e nem entre ciclos de pastejo. Quanto a MSLVres, estimou-se produções de 1429 e 1637 kg/ha nos níveis 0 e 1,8% PV. O mesmo ocorrendo para IAF residual. Quanto a MSCVres, foi observado efeito quadrático sobre o nível de suplementação, com um mínimo estimado de 1789 kg/ha, com 1,2% de suplementação. Houve aumento linear (Plt;0,10) na relação folha/colmo com o aumento do nível de suplementação. Quanto a DPP, não foi observada diferença (Pgt;0,10) entre níveis de suplementação. Porémquanto aos ciclos, observou-se que o ciclo 4 foi superior (Plt;0,05) ao ciclo 2, porém o ciclo 4 foi semelhante (Pgt;0,05) aos demais. O maior tempo de pastejo ocorreu no nível de suplementação de 0,0%, decrescendo progressivamente e voltando a se elevar somente no nível de 1,8% PV. Otempo de ruminação foi superior no nível de suplementação de 0,6% PV principalmente nos períodos com temperaturas mais amenas. O tempo de ócio foi superior no nível de suplementação de 1,2%, mormente após a suplementação (períodos de 14-20h). O número de ingestãosal/suplemento elevou-se com o aumento do nível de suplementação no período de 11-14h. A ingestão de água elevou-se com o aumento no nível de suplementação até 1,2% PV e concentrouse no período 11-14h. A micção foi superior no nível de suplementação de 1,8% PV e no período5-8h. A elevação progressiva na taxa de bocados até o nível de suplementação de 1,2% PV nos períodos de 11-20h, com posterior queda sugere um efeito aditivo do suplemento sobre o pasto até tal nível, para daí em diante, ocorrer um efeito substitutivo. O tempo total sob o sombrite concentrou-se nos períodos mais quentes do dia e reduziu-se com os níveis de suplementação até 1,2%. Observou-se efeito quadrático (Plt;0,10) dos níveis de suplementação, com o GMDestimado de 65,87 e 113,15 g/dia dos animais não suplementados e recebendo suplemento ao nível de 1,8% PV. O mesmo comportamento ocorreu com o GPT dos animais. O D12 estimado para o nível 0,0% PV foi de 204 dias, reduzindo-se para 113 dias para o nível 1,8% PV. Observou-se uma TLO mínima estimada (Plt;0,10) de 63 ovinos/ha, com 0,39% desuplementação. Já para TLUA (UA/ha), observou-se efeito quadrático (Plt;0,10) nos níveis de suplementação, com TLUA estimada em 7,67 e 8,98 UA/ha com animais não suplementados e recebendo suplemento ao nível de 1,8% PV, respectivamente. Para o RPV, observou-se efeitoquadrático (Plt;0,10) nos níveis de suplementação, com RPV estimado em 1538 e 3264 kg PV/ha x ano, com animais não suplementados e recebendo suplementação ao nível de 1,8% PV, respectivamente. Observou-se redução linear (Plt;0,10) na CAC com a elevação dos níveis de suplementação. Projeções econômicas indicaram maior lucratividade para produção de ovinos com suplementação concentrada ao nível de 0,6% PV, com cerca elétrica de no mínimo três hectares e preço de venda a partir de R$ 3,00/kg PV.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Magno José Duarte Cândido; José Neuman Miranda Neiva; Marcos Cláudio Pinheiro Rogério

School:Universidade Federal do Ceará

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:ZOOTECNIA análise econômica, ovinos, Panicum maximum, produtividade, sistema de produção.

ISBN:

Date of Publication:02/20/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.