Details

Jardins e Riachinhos : figuração imaginária das vidas de Rosa

by Ferreira Stopa, Carla Maria

Abstract (Summary)
O presente trabalho tem como objeto de estudo os contos que constituem acoletânea ?Jardins e Riachinhos?, do livro Ave, Palavra, obra póstuma de JoãoGuimarães Rosa. Nesses textos, analisamos as imagens arquetípicas dos jardins e dosrios, considerando o conceito de arquétipo de Jung, que constitui um correlatoindispensável da idéia de inconsciente coletivo. O conceito de arquétipo indica aexistência de determinadas formas simbólicas na psique humana, presentes em todo otempo e em todo lugar.As imagens presentes na obra do grande prosador-poeta se formam em torno deuma orientação fundamental, que se compõe de sentimentos e emoções próprios de umacultura, assim como de toda experiência individual e coletiva. Os jardins e os rios comoimagens arquetípicas que simbolizam os desejos, as necessidades, as angústias do serhumano desde os primórdios.Assim, nos orientamos nos postulados de Gilbert Durand que, propondo umaantropologia do imaginário, deseja conciliar a totalidade das motivações simbólicas combase na sua mitodologia, aparato que estabelece as relações entre imaginário e literatura.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Enivalda Nunes Freitas e Souza; Margarete da Cruz Machado; Maria Zaíra Turchi

School:Universidade Federal de Uberlândia

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Guimarães Rosa Inconsciente coletivo Imaginário Contos brasileiros - História e crítica Rosa, JoãoGuimarães, 1908-1967 Crítica interpretação Rios

ISBN:

Date of Publication:09/30/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.