Details

Fatores associados ao desempenho na compreensão da linguagem oralem idosos: Projeto envelhecimento e saúde.

by Araujo Carvalho, Sarah de

Abstract (Summary)
Introdução: A compreensão da linguagem oral é uma habilidade complexa, e ainda não foram estabelecidos fatores associados a essa habilidade, tais como a idade, condições gerais de saúde, depressão e qualidade de vida. Objetivos: 1) descrever o desempenho de idosos na versão reduzida do Teste de Token para compreensão oral em uma população idosa residente em uma comunidade de baixa renda emBelo Horizonte, Minas Gerais; 2) investigar em que medida fatores sócio-demográficos, a qualidade de vida, e a saúde física e mental explicam este desempenho; e 3) estimar a prevalência de alteração na habilidade de compreensão oral com base nos pontos de corteestabelecidos por De Renzi em 1978.I Métodos: Foram selecionados 405 indivíduos com 60 anos ou mais residentes na área de abrangência de um Centro de Saúde, localizado na região sudoeste da cidade de Belo Horizonte. Participaram do estudo 373 idosos dos quais 333 realizaram o teste de avaliação da compreensão da linguagem oral. A entrevista incluiu fatores sócio-demográficos e de saúde, o Mini-exame do Estado Mental, a versão reduzida do Teste de Token para compreensão oral, o questionário de qualidade de vida SF-12 e o de transtorno mental comum GHQ-12. O desempenho na versão reduzida no Teste de Token foi descrito utilizando medidas de tendência central e o teste qui-quadrado para a pontuação final em homens e mulheres esegundo a escolaridade e faixa etária. Utilizou-se o modelo de regressão linear múltipla para investigar a associação entre essas variáveis e o desempenho no teste de compreensão oral. Aprevalência de alterações da compreensão oral foi estimada para o conjunto dos participantes, por sexo, faixa etária e escolaridade.Resultados: A média da pontuação na versão reduzida do Teste de Token foi de 23 em 36 pontos (Desvio Padrão: 6.4), não variou entre homens e mulheres, aumentou com a escolaridade e reduziu com a faixa etária As variáveis que se mantiveram associadasdiretamente à pontuação final no Teste de Token, no modelo final de regressão linear, foram a idade, escolaridade, saber ler e escrever, estado cognitivo, hipertensão referida, autopercepção sobre compreensão de situações conversacionais e componente mental da qualidade de vida. Juntos, estes fatores explicam 62% da variabilidade da compreensão oral nos idosos participantes. A prevalência de alteração na compreensão oral na população estudada foi de69%, sendo 22% de transtorno leve, 35% moderado e 13 % severo. 30% por cento dos idosos não apresentaram nenhum comprometimento da compreensão. Conclusão: Os resultados confirmam que a compreensão oral é uma habilidade complexa e multidimensional, sendo influenciada por fatores relacionados ao background, condiçõesgerais de saúde e conceitos subjetivos. Sugerem também que este é um problema freqüente, em grande parte evitável, e que necessita ser melhor investigado em idosos brasileiros. Além disso, os pontos de corte utilizados para discriminar a presença e gravidade do transtorno nacompreensão oral no Teste de Token necessitam ser validados e adequados a uma população com baixa escolaridade, como a participante no presente estudo.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Sandhi Maria Barreto; Ana Cristina Cortes Gama; Henrique Leonardo Guerra; Paulo Caramelli; Maria Alice de Mattos Pimenta Parente

School:Universidade Federal de Minas Gerais

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Dissertação da Faculdade de Medicina UFMG. Linguagem DeCS Envelhecimento Transtorno linguagem

ISBN:

Date of Publication:03/24/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.