Details

Lagochilascaríase Experimental em Camundongos A/J e B10.A

by de Souza, Mariana Félix

Abstract (Summary)
A Lagochilascaríase é uma infecção causada por parasitos do gênero Lagochilascaris cuja espécie é conhecida por Lagochilascaris minor Leiper 1909 Campos et al (1992) descreveram o ciclo evolutivo experimental de L minor utilizando o modelo constituído por camundongo como hospedeiro intermediário e gato doméstico como hospedeiro definitivo A disponibilidade de linhagens murinas com diferentes características genéticas tem favorecido o estudo das relações parasito-hospedeiro cruciais no estabelecimento da resistência ou susceptibilidade às infecções O objetivo deste trabalho foi avaliar parâmetros parasitológicos histopatológicos sorológicos e de sobrevida na infecção experimental por L minor em camundongos isogênicos B10.A e A/J a fim de se verificar as diferenças das respostas que poderiam refletir os quadros de resistência e susceptibilidade Camundongos isogênicos B10.A e A/J foram inoculados por sonda esofagiana com 2000 ovos infectantes de L minor por animal Três camundongos infectados e 1 não infectado foram sacrificados dos 15 aos 180 dias pós-infecção (DAI) para análise Grupos de 22 camundongos machos da linhagem B10.A e 19 camundongos da linhagem A/J foram inoculados e a porcentagem de sobrevida foi avaliada durante um ano Após o sacrifício e rebatimento da pele dos animais foi determinada a quantidade de nódulos subcutâneos e musculares Larvas retiradas dos nódulos foram mensuradas quanto ao comprimento e largura A obtenção de antígenos dos produtos secretados e excretados e dos extratos brutos de larvas de L minor e a detecção de anticorpos IgM IgG IgA e IgE séricos foi realizada segundo Freitas (2003) Fragmentos de pulmões fígado linfonodos e baço foram fixados e processados pelo método de inclusão em parafina e corado pela hematoxilina ? eosina coloração de Luna e coloração por Tricrômio de Masson Fez-se análise semi-quantitativa da intensidade do processo inflamatório e caracterização dos tipos celulares A porcentagem de sobrevida dos camundongos B10.A e A/J foram 33,3% e 90% respectivamente Camundongos A/J apresentaram número maior de larvas encistadas no tecido subcutâneo superficial até os 150 DAI Somente aos 45 e 60 DAI larvas retiradas de camundongos A/J foram significativamente maiores que larvas retiradas de camundongos B10.A O padrão das lesões pulmonares nas diferentes linhagens de camundongos foi caracterizado por infiltrado inflamatório focal formando granulomas predominante de células mononucleares Os animais A/J apresentaram menor intensidade de inflamação O fígado baço e linfonodos apresentaram-se com aspecto reacional à infecção em ambas linhagens Os níveis de IgG sérico dos animais A/J e B10.A foram crescentes durante o curso da infecção sem diferença entre as duas linhagens Aos 45 DAI camundongos B10.A apresentaram um alto nível de IgM e IgA sérico contra os antígenos dos produtos secretados e excretados (SE) de larvas Já camundongos A/J apresentaram uma alta produção de IgA sérico contra os antígenos do extrato bruto entre os 90 e 180 DAI Não foram detectados níveis consideráveis de IgE sérico nos animais infectados Com base nesses resultados podemos concluir que as lesões pulmonares e a porcentagem de sobrevida demonstram claramente a diferença de evolução da infecção experimental em camundongos resistentes e susceptíveis Em relação ao número de nódulos subcutâneos tamanho das larvas encistadas sorologia e lesões anatomopatológicas de fígado baço e linfonodos as diferenças entre as linhagens de camundongos resistentes e susceptíveis a Lagochilascaríase são discretas
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Ruy de Souza Lino Júnior; Mara Silvia Carvalhaes

School:Universidade Federal de Goiás

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:MEDICINA

ISBN:

Date of Publication:03/31/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.