Details

Estudos de associação de polimorfirmos de base única em genes candidatos na Hanseníase. Papel das gelatinases, de seus inibidores e de moléculas de matriz em lesões cutâneas de leishmaniose tegumentar americana

by Cardoso, Cynthia Chester

Abstract (Summary)
A Hanseníase é uma doença infecciosa crônica causada por um patógeno intracelular obrigatório, o Mycobacterium leprae, com tropismo por células de Schwann nos nervos periféricos e macrófagos na pele. O espectro com cinco formas clínicas diferentes é determinado pela interação patógeno-hospedeiro através da influência do M. leprae sobre a resposta imune do hospedeiro associada à dicotomia Th1 x Th2, a qual é representada pelas formas tuberculoides e lepromatosas da doença. A análise de seqüências do M. lepraedemonstrou uma baixa variabilidade, de forma que tanto o desenvolvimento de Hanseníase quanto de seu espectro de manifestações depende majoritariamente das características do hospedeiro. Esta observação tem estimulado estudos visando à identificação de marcadores desuscetibilidade à Hanseníase per se ou a uma das formas clínicas. O objetivo deste estudo foi reproduzir em uma nova população os resultados de associação entre polimorfismos de base única (SNPs) e a suscetibilidade à Hanseníase já publicados. Um estudo tipo caso-controle utilizando uma população composta por 233 contatos domiciliares sadios e 212 pacientes de todas as formas clínicas da hanseníase foi desenhado. As amostras foram genotipadas atravésdos métodos de PCR-RFLP ou discriminação alélica por tempo real para SNPs dos genes TNFA (-308), LTA (+252) e PARK2 (-2599 e rs1040079). Desvios em relação ao Equilíbrio deHardy-Weinberg foram detectados em SNPs do lócus de TNF (-308 nos pacientes e +252 nos contatos) e no SNP ?2599 do gene PARK2 em ambas as populações. As análises baseadas em populações confirmam a proteção anteriormente etectada para o alelo TNF-308A (OR=0,59; P=0,03) e para o haplótipo ?308A/+252A, embora este segundo resultado não seja significativo (OR=0,47; P=0,06). Os estudos de SNPs e aplótipos do gene PARK2 não detectaram associação. Um novo SNP (asp110ala) no gene de ninjurina (NINJ1) também foiinvestigado de modo a verificar uma possível associação com a Hanseníase. Nenhuma evidência de associação deste SNP com a suscetibilidade e severidade foi detectada, emborauma primeira analise tenha sugerido associação com dano neural avaliado pelo grau de incapacidade. Assim utilizando uma população estendida de pacientes (n=765) foi confirmadaa associação do alelo 110ala e o grau de incapacidade (OR=1,54; P=0,007). A quantificação alelo-específica dos transcritos por tempo real demonstrou que o alelo 110asp tem expressão aumentada quando comparada à do alelo 110ala. Neste trabalho foi confirmada a associação do alelo -308A com a resistência a hanseníase per se em Brasileiros. As análises de ninjurina demonstraram que o SNP asp110ala pode ser um marcador prognóstico valioso já que o carreadores do alelo 110ala têm suscetibilidade aumentada ao dano neural, possivelmente causada por uma expressão reduzida desta molécula de adesão mediada por esse alelo. A leishmaniose é uma importante antropozoonose de extensões mundiais. No Brasil, sua forma predominante é a leishmaniose tegumentar americana (LTA), a qual é causada principalmente pela Leishmania Viannia braziliensis. Esta doença é caracterizada pela formação de lesões no local da picada do inseto vetor. As lesões primárias são cutâneas, e após sua cura ou ainda durante seu curso de evolução, podem aparecer lesões mucosas secundárias, as quais resultam da metástase do parasito. Estas lesões, em muitos casos, tendem à cronicidade, originando úlceras, que apresentam intenso processo de destruição tecidual. Durante o processo de regeneração e reparo tecidual, é necessária a síntese e quebra de componentes da matriz extracelular para permitir os eventos de proliferação e migração que concluirão as etapas de reparo. Deste processo, participa um família de endopeptidases conhecidas como metaloproteinases de matriz (MMP). Uma importante subfamília, são as gelatinases MMPs 2 e 9, as quais estão envolvidas na re-epitelização e resolução. A atividade das MMPs é ativamente controlada por proteínas chamadas de inibidores teciduais de metaloproteinases (TIMP). A perda deste controle leva à degradação excessiva do tecido. O presente trabalho teve como proposta avaliar o papel das gelatinases A (MMP-2) e B (MMP-9), de seus respectivos inibidores teciduais TIMP-2 e 1, e de moléculas de matriz, que são substratos destas enzimas em úlceras cutâneas de LTA. Para atingir este objetivo, fez-se uso das técnicas de RT-PCR para avaliar a expressão de mRNA de gelatinases e inibidores, zimografia in situ para avaliar quais sítios do tecido lesionado apresentavam a atividade das gelatinases, e imunohistoquímica para detectar a expressão fibronectina, colágeno tipo IV, laminina e tenascina. Por último, foram realizadas correlações entre os dados obtidos a partir da execução destas técnicas com importantes parâmetros clínicos da LTA. Verificou-se que pacientes que responderam mal ao tratamento, e/ou possuíam lesões maiores que 5,8 cm2 e aqueles que tinham lesões localizadas na parte inferior do corpo expressaram com menos freqüência mRNA para as gelatinases e seus inibidores, ao mesmo tempo que apresentavam intensa atividade das gelatinases e elevada expressão dos componentes de matriz estudados, fato que indica que o desequilíbrio entre síntese e atividade destas enzimas poderia resultar em dificuldade no processo de cura. Além disso, lesões recentes expressam níveis mais elevados de gelatinases, enquanto lesões antigas tendem a expressar mais inibidores, fato que pode predispor à cicatrização. Desta forma, sugere-se que as gelatinases e seus inibidores podem ser importantes no comportamento e na resolução das lesões leishmanióticas.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Milton Ozório Moraes

School:Faculdades Oswaldo Cruz

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:PARASITOLOGIA leishmaniose cutânea matriz extracelular

ISBN:

Date of Publication:03/24/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.