Details

Estudo de variabilidade genética de aspergillus flavus como base para o desenvolvimento de PCR multiplex para detecção de fungos produtores de aflatoxinas em castanha-do-brasil e bastanha de caju

by Reis Rodrigues, Maria dos

Abstract (Summary)
Aflatoxinas é a denominação dada a um grupo de substâncias muito semelhantes, heterocíclicas e altamente oxigenadas, tóxicas ao homem e animais. São produtos do metabolismo secundário de fungos filamentosos das espécies Aspergillus flavus, A. parasiticus, A. pseudotamarii e A. nomius, desses, apenas A. flavus e A. parasiticus são economicamente importantes. Seus metabólitos são denominados B1, B2, G1 e G2. As letras referem-se a cor que emitem (blue ou green) sob luz ultra violeta de comprimento de onda de 365 nanômetros (nm) e os números a sua toxicidade, sendo o nº 1 a forma mais tóxica. As aflatoxinas são carcinogênicas, imunossupressivas, teratogênicas e genotóxicas, objeto de preocupação em todo mundo, sendo de ocorrência mais frequente nos países de clima tropical, embora também ocorram em todas as regiões, nas épocas e locais de clima quente e úmido. A castanha-do-brasil (Bertholletia excelsa H. B. K.) é o primeiro produto extrativista em importância para as comunidades que vivem na Amazônia. É um produto tipicamente de exportação, sendo que das 28.467 toneladas (t) produzidas em 2001, 20.000 t tiveram como destino a Europa e os Estados Unidos. Ultimamente, o produto vem sofrendo restrições nesses mercados devido a contaminação das castanhas por aflatoxinas, com níveis acima dos permitidos, inclusive com devoluções do produto.A técnica oficial de detecção da aflatoxina e outras micotoxinas é a cromatografia, que detecta a toxina mas não o fungo, não sendo recomendada no monitoramento da cadeia produtiva. A Reação da Polimerase em Cadeia (PCR) potencialmente é uma poderosa ferramenta no combate a aflatoxina podendo ser utilizada no monitoramento de toda cadeia produtiva. É uma técnica rápida e versátil, para detecção, o organismo a priori não necessita ser cultivado, é sensível, sendo capaz de detectar moléculas de DNA alvo em uma mistura complexa sem uso de sondas radioativas. E comparada às análises por cromatografia, é uma técnica relativamente barata. Nenos de 50% dos isolados de Aspergillus flavus são de fato produtores de aflatoxinas, razão da busca de um sistema PCR multiplex baseado na investigação de variabilidades em regiões do rDNA (ITS e IGS do rRNA nuclear e no mtDNA SSU rRNA), gene da ?-tubulina, marcadores RAPD e genes da via biossintética de A. flavus objetivando separar isolados produtores de aflatoxinas dos não produtores. Da amplificação com os primers universais ITS5 e ITS4 (48 isolados de A. flavus originários de castanha?do-brasil e castanha de caju - Anacardium occidentale L.), sequenciamento dos fragmentos e análise das seqüências da região ITS do rDNA, obteve-se um par de primers provalvemente específico para A. flavus (ASPITSF e ASPITSR). Foram também desenhados 10 possíveis tipos diferentes de primers degenerados para genes da via biossintética da aflatoxina totalizando 26 pares de primers.A investigação de variabilidade utilizando-se marcadores RAPD (11 primers), 140 fragmentos de DNA, gerou um fenograma que dividiu os 48 isolados em 5 grupos distintos conforme hospedeira e região geográfica de origem.Mais investigações serão realizadas até a obtenção da PCR multiplex específica para A. flavus produtor de aflatoxina em castanha-do-brasil e castanha-de-caju.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Robert Neil Gerard Miller; Augusto Mello Simões Barbosa; Marisa Àlvares da Silva Velloso Ferreira

School:Universidade Católica de Brasília

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:caju aflatoxinas, castanha do brasil

ISBN:

Date of Publication:03/11/2004

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.