Details

?ESTUDO DAS RELAÇÕES ENTRE IMUNIDADEHUMORAL E CARGA PARASITÁRIA EMCÃES NATURALMENTE INFECTADOS PORLeishmania (Leishmania) infantum chagasi?

by Teixeira Neto, Rafael Gonçalves

Abstract (Summary)
No presente estudo foi avaliado um grupo de 45 cães composto deanimais não infectados e naturalmente infectados por L. infantumchagasi (identificação através da PCR-RFLP). Após avaliação clínica osanimais foram divididos em três grupos: Cães controle (CC), cãesassintomáticos (CA) e cães sintomáticos (CS). Foi avaliada a cargaparasitária nas amostras de pele e baço destes animais através datécnica de quantificação ?Leishman Donovan Units? (LDU). De acordocom densidade parasitária separamos os animais nos seguintes grupos:baixo parasitismo (BP), médio parasitismo (MP) e alto parasitismo (AP).Neste contexto estudamos o índice de positividade da PCR em diferentesamostras clínicas, o perfil da resposta humoral (IgG e suas subclassesIgG1 e IgG2) e a avidez de IgGtotal com relação à forma clínica e aoparasitismo apresentado pelo cão. A análise dos resultados da PCRmostrou que não houve diferença estatística na positividade da reaçãoentre os grupos com diferentes formas clínicas. Os animais forampositivos em pelo menos dois tecidos avaliados e as amostras clínicascom melhor desempenho seguiram a seguinte ordem: baço, linfonodo,pele, medula óssea, fígado e sangue. Com relação ao parasitismotecidual foi observada diferença estatística significante na cargaparasitária das amostras de pele ao compararmos os grupos CA e CS(p=0,0011). Em ambos tecidos onde foi avaliada a carga parasitáriaobservou-se que no grupo CA houve um maior número de animais combaixo parasitismo, já no grupo CS a maioria dos animais apresentavaalto parasitismo. A avaliação do perfil de Ig mostrou que os níveisséricos de IgG1 apresentavam-se mais elevados nos animaisassintomáticos, sugerindo uma possível associação com mecanismosimunoprotetores da infecção, por outro lado os níveis séricos de IgG2parecem estar associados com a presença de sintomas na LVC.Correlacionando o perfil de Ig com a carga parasitária, foi constatadoque à medida que aumentava a intensidade parasitária (baço e pele) osvalores de IgG e IgG2 também subiam. Observamos também umacorrelação negativa entre os valores de IgG1 e a densidade parasitáriano baço. O índice de avidez (IA) de IgGtotal nos animais sintomáticos foimais alto quando comparado ao IA dos animais assintomáticos. Alémdisso, animais mais parasitados tanto no baço quanto na pele possuemmaior IA que os animais com baixo parasitismo. Com base nestesachados sugerimos que a LVC se inicia a partir de uma forma clínicaassintomática, com baixo parasitismo, alta produção de IgG1 e baixaafinidade das moléculas de IgGtotal evoluindo para uma forma clínicasintomática, com maior densidade parasitária, níveis de IgG2 maiselevados e alta afinidade de IgGtotal. Além disso, confirmamos a eficáciada PCR como ferramenta no diagnóstico da LVC ressaltando suaimportância do ponto de vista epidemiológico devido à sua capacidadena detecção de animais assintomáticos.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Célia Maria Ferreira Gontijo; Alexandre Barbosa Reis; Marilene S. Marque Michalik; Simone Aparecida Rezende

School:Universidade Federal de Ouro Prêto

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:1 leishmaniose teses 2 imunoglobinas 3 carga parasitária i universidade federal de ouro preto ii título imunologia

ISBN:

Date of Publication:02/13/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.