Details

Estresse e suporte social em profissionais do setor de segurança pessoal e patrimonial

by Santos Menezes, Alessandra dos

Abstract (Summary)
Estudos sobre policiais destacam que estes constituem um dos grupos profissionaiscom maior freqüência de alto nível de estresse. Assim, este estudo foi desenvolvido com osobjetivos de avaliar fatores de estresse ocupacional e de relacionar o estresse com o suportesocial em uma amostra de policiais civis de uma Delegacia Regional de Segurança Pública. Oestudo foi desenvolvido em duas fases, nas quais foram adotadas diferentes metodologias. Naprimeira fase participaram voluntariamente 40 policiais civis e buscou-se identificar osestressores gerais no trabalho do policial civil e investigar as formas de enfrentamento aoestresse pelos policiais, utilizando um roteiro de entrevista semi-estruturado. Após análise deconteúdo foram obtidas 222 respostas sobre os estressores ocupacionais, que foramclassificados em 18 categorias envolvendo as características do trabalho, relacionamento comcolegas e superiores, imagem negativa da classe por parte da sociedade e da mídia e falta deapoio legal e governamental ao trabalho da polícia. A estratégia utilizada para lidarem com oestresse gerou 86 respostas, sendo que a maioria utiliza manejo dos sintomas, tais como autocontrole,apoio da família, lazer, prática de exercícios, religião e atitude positiva. Na segundafase deste estudo participaram 96 sujeitos, correspondendo a aproximadamente 50% doquadro de pessoal da Delegacia, com os objetivos de analisar o suporte social percebido, asatisfação com o suporte social, o nível de estresse e sua manifestação sintomática naamostra; e investigar a relação entre a percepção de suporte social, as característicasbiográficas e os sintomas de estresse relatados. O instrumento auto-administrável continhaquestões sobre dados biográficos e profissionais, o Inventário de Sintomas de Stress paraAdultos e o Questionário de Suporte Social. As respostas foram digitadas em planilha doprograma SPSS for Windows®, versão 11.0, para proceder às análises. Os resultados indicarammais de 50% dos participantes com estresse, já em fase de resistência/quase exaustão ouexaustão. Nas análises de cruzamento de variáveis, verificou-se que no grupo de sujeitos comgrau de escolaridade superior, a maioria apresentou estresse; e que quanto maior a cargahorária semanal, maior o nível de estresse. Quando se analisou o tipo de sintoma de estresse,verificou-se que entre os 51 sujeitos que apresentaram estresse, 25 tiveram predominância desintomas psicológicos e 20 mostraram predominância de sintomas físicos, de acordo com atabela de correção do ISSL. O Questionário de Suporte Social Percebido (SSQ-N) indicou quea maioria percebe, em média, duas pessoas como suportivas e que estão entre razoavelmente satisfeito e um pouco satisfeito com este suporte. As ANOVAs mostraram diferença entre asmédias em suporte social do grupo de sujeitos sem estresse, em comparação com aqueles nafase de resistência/quase exaustão e os que estão na fase de exaustão, de modo que quantomenor o suporte social percebido, mais grave a fase de estresse em que o sujeito se encontra.Entretanto, esta diferença não foi significativa para o Índice N, representativo do númeromédio de pessoas percebidas como suportivas nas diversas situações do SSQ-N. Quanto àsatisfação com o suporte social (Índice S) verificou-se que quanto maior a satisfação com osuporte social, menor o nível de estresse. O suporte social percebido (Índice N)correlacionou-se negativamente com as três medidas de sintomas de estresse do ISSL,indicando que quanto maior o número de pessoas suportivas, menor a quantidade de sintomasindicados pelo sujeito. A satisfação com o suporte social (Índice S) correlacionou-sepositivamente com os sintomas de estresse nos três períodos, de modo que quanto maissatisfeito o sujeito com o suporte social percebido, também menor o número de sintomas deestresse indicados, confirmando-se, assim, as hipóteses principais deste estudo. Foi possívelconcluir que a metodologia utilizada permitiu um diagnóstico organizacional que extrapola aquestão da saúde/estresse, ao identificar problemas na infra-estrutura do trabalho, naorganização das tarefas e no relacionamento entre os funcionários e destes com a sociedade.Retomando o conceito e os níveis de análise do Comportamento Organizacional, este estudoconfirma que o estresse no trabalho é uma questão individual, de grupo e da organização.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Marilia Ferreira Dela Coleta; Maria do Carmo Fernandes Martins; Thelma Simões Matsukura

School:Universidade Federal de Uberlândia

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Estresse Suporte social Policial civil ocupacional Comportamento organizacional

ISBN:

Date of Publication:02/15/2007

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.