Details

Enzimas fibrolíticas e emurchecimento no controle de perdas da ensilagem e na digestão de nutrientes em bovinos alimentados com rações contendo silagem de capim Tanzânia.

by Santana Loures, Daniele Rebouças

Abstract (Summary)
Este trabalho teve por objetivo avaliar o efeito de enzimas fibrolíticas na degradação da parede celular do volumoso, quando aplicadas antes da ensilagem e no momento da alimentação do animal. No experimento I analisou-se o efeito do emurchecimento, da redução do tamanho de partículas e da adição de enzimas fibrolíticas (associadas ou não ao inoculante bacteriano Lactobacillus plantarum) na fermentação e nas perdas do processo de ensilagem de capim Tanzânia (Panicum maximum, Jacq. cv. Tanzânia). A forragem foi cortada aos 45 dias de crescimento vegetativo e armazenada em silos experimentais (50 L) durante 136 dias. Durante o período de armazenamento o efluente foi coletado e quantificado no 1o, 2o, 7o, 14o, 21o, 60o, 90o e 136o dias. A redução do tamanho de partícula não influenciou as perdas totais, embora o tamanho menor tenha contribuído para garantir maior estabilidade aeróbia da silagem. A taxa de recuperação e as perdas de MS por efluente e gases foram de 72, 5 e 23% nas silagens não-emurchecidas e de 80, 0 e 21% nas silagens emurchecidas, respectivamente. A adição de enzimas fibrolíticas associadas ou não ao inoculante bacteriano promoveu redução da fração fibrosa (FDN, FDA, celulose, hemicelulose), sendo esta redução mais acentuada nas silagens emurchecidas. Contudo, não houve aumento da digestibilidade in vitro da MS com adição de enzimas fibrolíticas. Foram observados os valores médios de DBO (11.289 mg L ?1), DQO (36.279 mg L ?1) e DQO/DBO (3,35) no efluente das silagens contendo umidade original; o maior período de armazenamento aumentou significativamente o potencial poluidor do efluente. O experimento II teve por objetivo avaliar o efeito do conteúdo de matéria seca da forragem e o uso de enzimas fibrolíticas aplicadas durante a ensilagem de capim Tanzânia ou após a abertura do silo. Os tratamentos foram confeccionados da seguinte forma: A - forragem emurchecida sem aplicação de enzimas; B ? não-emurchecida sem aplicação de enzimas; C - emurchecida com enzimas (2 L t -1 de massa verde); D ? não-emurchecida com enzimas; e E ? não-emurchecida com enzimas (10 L t -1 de massa verde), após a abertura do silo. Cinco novilhos da raça Nelore foram distribuídos ao acaso em delineamento do tipo Quadrado Latino 5 x 5. Os parâmetros de cinética de passagem de sólidos (2,23% hora-1) e de líquidos (4,83% hora-1) foram similares para os tratamentos avaliados. O comportamento ingestivo dos animais não foi alterado com a elevação da concentração de MS da silagem, sendo observados os seguintes tempos (minutos dia-1) e taxas (min kg MSI-1) de ingestão de MS (247 e 24), de ruminação (426 e 43) e de mastigação (673 e 67), respectivamente. As médias das concentrações totais dos ácidos graxos voláteis (109,62 mM) e de nitrogênio amoniacal (5,6 mg dL-1), do fluido ruminal, não foram alteradas pelos tratamentos aplicados. Diante dessas observações, pode-se concluir que o emurchecimento da forragem e o uso de aditivo enzimático não resultaram em alterações significativas no comportamento ingestivo, nos parâmetros ruminais e na digestibilidade de nutrientes em animais.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Luiz Gustavo Nussio; Fabio Prudencio de Campos; Wilson Roberto Soares Mattos; Irineu Umberto Packer; Ricardo Andrade Reis; Luiz Gustavo Nussio

School:Universidade de São Paulo

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords: aditivos alimentares bovinos de corte capim-Tanzânia comportamento ingestivo animal digestibilidade ração

ISBN:

Date of Publication:04/29/2004

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.