Details

Efeitos da galactomanana de Cyamopsis tetragonolobus na osteoartrite induzida por transecção do ligamento cruzado anterior em ratos

by Castro, Rondinelle Ribeiro

Abstract (Summary)
No modelo de osteoartrite (OA) induzida por transecção do ligamento cruzado anterior em ratos (TLCA), havíamos demonstrado que a goma guar (GG), uma galactomanana extraída das sementes de Cyamopsis tetragonolobus goma guar, apresenta atividade analgésica em magnitude semelhante à exibida pelo Hilano G-F 20, um derivado do ácido hialurônico utilizado em terapia intra-articular da OA humana. Utilizando o referido modelo, objetivamos desenvolver um métido bioquímico paramétrico para avaliação da lesão articular no referido modelo, e investigar o mecanismo para a analgesia e a eficácia condroprotetora da GG. Ratos Wistar submetidos à TLCA (grupo OA) foram sacrificados em diferentes períodos. A dor articular foi avaliada diariamente pelo teste de incapacitação para ratos, por até 70 dias. O lavado articular foi usado para determinação da liberação de NO. A cartilagem foi avaliada pela determinação do teor de condrotin-sulfato (CS) na matriz, além da avaliação da massa molar do mesmo. A lesão articular foi avaliada também por análise histopatológica, segundo os escores OARSI. Grupos falso-operados (sham) foram utilizados para comparação. Para estudos sobre a dor articular, animais do grupo OA receberam terapeuticamente indometacina (2mg/kg/d s.c.), meloxicam (6mg/kg/d i.p.), ou tadalafila (0,5mg/kg/d p.o.), do quarto ao sétimo dias. Morfina (200µg i. art.) foi administrada apenas no quarto dia, 30 min antes da avaliação da dor. Naloxona (500µg i. art.) foi administrada 15 min antes de morfina. Alendronato sódico (30 ou 240µg/kg s.c.) foi administrado profilaticamente três dias antes da indução, e repetido a cada três dias, até o sexto dia. GG original ou quimicamente modificada foi administrada em dose única no quarto dia (100amp;#956;g/50amp;#956;l i. art.). Galactose ou manose (500amp;#956;g/50amp;#956;l i. art.) foram co-administrados à GG original. Para avaliação sobre a lesão da cartilagem, GG (100amp;#956;g/50amp;#956;l i. art) foi administrada como dose única semanal, do 14º ao 63º dias. Animais não tratados (NT) receberam veículo (salina) nas respectivas vias. O grupo OA apresentou dor articular máxima durante a primeira semana, período no qual houve a maior liberação de NO. 70 dias após TLCA, o teor e a massa molar do CS da matriz da cartilagem mostraram-se ambos aumentados (plt;0,05). Importantes alterações histopatológicas foram encontradas no grupo OA nesse período. Indometacina, meloxicam, tadalafila e morfina reduziram significantemente a dor (plt;0,05), sendo o efeito desta última revertido por naloxona. Alendronato sódico preveniu a ocorrência da dor. As estruturas modificadas de GG não exibiram eficácia analgésica. Galactose, mas não manose, reverteu significativamente o efeito analgésico da GG não-modificada (plt;0,01). GG preveniu as alterações do CS da cartilagem, e reduziu significativamente a lesão histopatológica (plt;0,05). As alterações sofridas pelo CS parecem refletir o dano tecidual, validando tal metodologia para avaliação da lesão estrutural. A eficácia analgésica da GG decorre de um efeito farmacológico dependente de galactose. Mais ainda, demonstramos a eficácia condroprotetora in vivo para a GG, indispendável para sua validação como droga anti-artrósica.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Francisco Airton Castro da Rocha; Marcus Raimundo Vale; Ana Maria Sampaio Assreuy; Paulo Antônio de Souza Mourão; Judith Pessoa Andrade Feitosa

School:Universidade Federal do Ceará

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Osteoartrite Polissacarídeos Dor Cartilagem Gomas Vegetais Fabaceae - Preparações de Plantas Lotus Cyamopsis

ISBN:

Date of Publication:04/15/2008

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.