Details

EFEITO DO EXCESSO DE FERRO EDIETA HIPERCOLESTEROLÊMICASOBRE O PERFIL DE LIPÍDIOSSÉRICOS E ESTRESSE OXIDATIVOEM HAMSTERS

by Augusto da, Jacqueline Coelho

Abstract (Summary)
O aumento nos níveis de LDL e a diminuição de HDL têm sido apontados como fatoresde risco para a aterosclerose e contribuído para o desenvolvimento de doençascardiovasculares (DCV). Por outro lado, estudos epidemiológicos e experimentaissugerem que o excesso de ferro, também, pode contribuir para o desenvolvimentodessas doenças. O objetivo do trabalho foi investigar o efeito do excesso de ferro sobreas diversas frações de lipídios séricos e homeostase do ferro em hamsters alimentadoscom dieta controle ou contendo colesterol. Golden Syrian Hamsters machos foramdivididos em quatro grupos de acordo com o tratamento recebido: grupo controle (C)recebeu dieta controle; grupo CF recebeu dieta controle e excesso de ferro; grupo Hrecebeu dieta hipercolesterolêmica contendo 0,5g/100g de colesterol e grupo HFrecebeu dieta hipercolesterolêmica e excesso de ferro. O experimento durou novesemanas e o excesso de ferro foi obtido através de injeções de ferro-dextran, na sétimasemana na dose de 10mg/dia durante 5 dias. Os dados foram testados pela ANOVA,análise bivariada. Quando as alterações foram significativas, o teste de Tukey foi feitopara determinar as diferenças específicas entre as médias. A diferença de p< 0,05 foiconsiderada significativa. O excesso de ferro aumentou (p<0,05) os níveis de colesterolplasmáticos em hamsters alimentados com dieta hipercolesterolêmica (4,37±0,73mmol/L e 7,07±2,22 mmol/L para H e HF, respectivamente). O colesterol sérico não foidiferente entre os grupos C e CF (1,68±0,29 mmol/L e 1,93±0,37 mmol/L para C e CF,respectivamente). O excesso de ferro associado à dieta hipercolesterolêmica tambémaumentou as frações HDL e LDL colesterol (p<0,05). O tratamento com ferro-dextranaumentou o ferro sérico, a saturação de transferrina e a capacidade de ligação do ferronos grupos CF e HF. A dieta hipercolesterolêmica aumentou o estresse oxidativo,avaliado pelos níveis séricos de 4-hidroxialquenal, mas o excesso de ferro não alterou asconcentrações de 4-hidroxialquenal, malondialdeído, ou o status antioxidante total.Nossos resultados sugerem que a dieta hipercolesterolêmica aumenta o colesterol séricoe proporcionalmente as demais frações nos hamsters e que o tratamento com ferro,quando associado à dieta hipercolesterolêmica, potencializa tais aumentos, que oexcesso de ferro não afeta o status antioxidante e que o hamster pode ser um bom modelo para explorar mecanismos que favorecem nosso entendimento sobre a relaçãoferro/lipídios.
Bibliographical Information:

Advisor:Marcelo Eustáquio Silva; Elísio Alberto Evangelista; Maria Lucia Pedrosa

School:Universidade Federal de Ouro Prêto

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:bioquímica teses hamster como animal de laboratorio?teses ferro no organismo ? transferrina antioxidante biochemistry as a lab iron in the organism transferrin antioxidant bioquimica

ISBN:

Date of Publication:07/22/2005

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.