Details

INFÂNCIA E ESPAÇO URBANO Significados e sentidos de morar em posse urbana para crianças com idade entre sete e onze anos

by NASCIMENTO CARVALHO, LUIZ DO

Abstract (Summary)
A presente pesquisa tem como objeto de estudo os significados e sentidos de morar naposse urbana para crianças das camadas populares. O significado é concebido como adimensão mais estável da palavra, a síntese da comunicação e do pensamento. Por meiodele, explicita-se a vinculação do indivíduo com seu grupo social. O sentido é a dimensãomais singular do sujeito, composto por afetos e memórias, aspirações e projetos. Pormeio desses dois conceitos, a psicologia social crítica tem buscado estudar o individuo naintersecção com sociedades e grupos. Para mapear os significados e os sentidos de morarna posse urbana para crianças, optou-se por adotar, como informantes privilegiadas,crianças com idade entre sete e onze anos, residentes em uma posse urbana em Goiânia-GO. Os procedimentos adotados para ter acesso ao que as crianças pensam e sentem emrelação àquele espaço social que habitam consistiram em triangulação de procedimentos,com levantamentos de informações sócio-demográficas, obtidas em documentos doInstituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e de órgãos da Prefeitura Municipalde Goiânia. Com tais informações buscou-se identificar o contexto histórico-social noqual estão inseridas tais crianças. Também trabalhou-se com entrevista estruturada,registros fotográficos, grupo focal, além de registros em diário de campo, seguindo omodelo de pesquisa etnográfica. Foram entrevistadas cinqüenta crianças, dentre as quaisforam escolhidas cinco delas para participarem da entrevista em grupo, segundo algumasrespostas à entrevista estruturada. Morar na vila para as crianças possui duplo significado.De um lado, está associado a relações caracterizadas pelo parentesco, vizinhança a amizade.A brincadeira surge, nesse contexto, como forma privilegiada de atividade por parte delas,reforçando as relações triplamente qualificadas (parentesco-vizinhança-amizade) e comoveículo de um conjunto de afetos que permeiam a dinâmica dessas relações. De outro lado,morar na vila significa conviver com o perigo, aventurar-se no vaivém entre os espaçosde segurança e insegurança, e conviver em meio a um contexto que exige silenciar sobreele, e muitas vezes, ser afetado pela visão da barbárie. Os sentidos do lugar social que ascrianças ocupam também se configuram no tensionamento entre duas formas antagônicasque se objetivam-subjetivam na vida social. De um lado, as crianças sentem o carinho e aproteção existente nas relações significativas, com a família extensa que reside no local,com os amigos, parentes e vizinhos, o que dá à criança um sentido de pertencimento a ela:?eu sou daqui?. Der outro lado, quando, no pêndulo entre esses dois pólos, prevalece osentido do trágico, a vila passa a configurar-se como um lugar de repulsa e recusa, o queproduz o desejo de buscar outro lugar. Esse outro lugar é a utopia que a criança elaborano processo de temporalização e subjetivação do espaço. Tais significados e sentidos sãoexpressões da dialética exclusão-inclusão social.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:SÔNIA MARGARIDA GOMES SOUSA

School:Universidade Católica de Goiás

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:psicologia social crítica infância e espaço urbano significado sentidos posse urbana

ISBN:

Date of Publication:03/29/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.