Details

IDENTIFICAÇÃO GENOTÍPICA DO POLIMORFISMO DO SISTEMA SANGUÍNEO DUFFY (DARC) EM REGIÃO ENDÊMICA DE MALÁRIA DA AMAZÔNIA OCIDENTAL BRASILEIRA, PORTO VELHO - RO

by DE FARIAS, JOSILEIDE DUARTE

Abstract (Summary)
A glicoproteína Duffy é um receptor eritrocitário tanto para quimiocinas quanto para merozóitos de Plasmodium vivax. A ausência de seus antígenos eritrocitários designa o fenótipo Fy(a- b-), que proporciona resistência a malária vivax aos indivíduos deste fenótipo. A detecção de indivíduos que apresentam infecção assintomática em regiões de alta endemicidade para malária, como Candelária e Bate-Estaca, Porto Velho ? RO, dá indícios de um possível papel de DARC nesta resposta adaptativa humana. Este fato levou-nos a propor a investigação das interações entre o Plasmodium e o sistema Duffy. Objetivamos, assim, determinar as freqüências gênicas do sistema Duffy e a distribuição de mutações que condicionam o fenótipo Fy(a- b-), e associar os genótipos investigados com morbidade à malária, além de investigar o papel de DARC na infecção assintomática. O DNA extraído de leucócitos foi amplificado com primers FY3 e FY4 e o fragmento de 661pb foi digerido com Ban I e Mwo I para identificação dos principais genótipos de Duffy. A identificação do genótipo nulo de Duffy ocorreu com primers FY1 e FY2 e digestão do fragmento de 221pb com Sty I. A visualização ocorreu em gel de agarose 1-2% corado com brometo de etídio e em gel de poliacrilamida 10% corado com nitrato de prata 10%. O nível de significância adotado nas análises estatísticas foi de 5%. O genótipo mais freqüente desta distribuição total foi o FY*A/FY*B com 39% em Candelária e 30% em Bate-Estaca (109/298 indivíduos). As distribuições genotípicas e alélicas não estão de acordo com as condições de equilíbrio de Hardy-Weinberg, tanto para a população em geral, envolvendo os grupos familiares (?24 = 32,05, p = 0,0000), como nas subamostras sem parentesco (?24 = 15,55, p = 0,0037), e com parentesco (?24 = 18,99, p = 0,0008). Os alelos FY*BES e FY*BG298A possuem freqüência polimórficas, sendo mais freqüentes em mulatos. Heterozigotos para o alelo FY*BES são suscetíveis à malária vivax e falciparum.
This document abstract is also available in English.
Bibliographical Information:

Advisor:Vera Engracia Gama de Oliveira

School:Fundação Universidade Federal de Rondônia

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:Suscetibilidade Genética Malária

ISBN:

Date of Publication:12/01/2005

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.