Details

CARACTERIZAÇÃO DA SUSCEPTIBILIDADE DE CAMUNDONGOS ISOGÊNICOS (MUS MUSCULUS) C57BL/6 E B10.A À INFECÇÃO POR Lagochilascaris minor E SUA ATUAÇÃO COMO HOSPEDEIRO DEFINITIVO NA INFECÇÃO EXPERIMENTAL.

by de Padua, Alessandra Gonçalves

Abstract (Summary)
A lagochilascaríase é uma infecção causada por Lagochilascaris minor, parasito causador de lesões debilitantes da região cervical de humanos, que apesar de não constituir um problema de saúde pública, é emergente devido ao crescente número de casos no Brasil. Camundongos C57BL/6 e B10.A foram inoculados por via oral com 2000 ovos viáveis de L. minor com o intuito de analisar aspectos parasitológicos, morfológicos, histopatológicos e sobrevida. Camundongos C57BL/6 apresentaram maior número de nódulos (machos, 330; fêmeas, 210) que os camundongos B10.A (machos, 225; fêmeas, 110) aos 90 dias após infecção. Larvas (L3/L4) e vermes adultos foram encontrados nos nódulos de ambas as linhagens, mas não houve diferença quanto ao tamanho e largura das mesmas. Infiltrados inflamatórios focais de menor intensidade predominaram no fígado de camundongos C57BL/6 aos 15 dias de infecção, enquanto no mesmo período, em camundongos B10.A houve presença em maior intensidade de infiltrados inflamatórios focais mais bem formados. Camundongos C57BL/6 apresentaram infiltrado inflamatório difuso pulmonar, do início ao final do período avaliado, de maior gravidade que os apresentados por animais B10.A, principalmente após 120 dias de infecção. Em ambas as linhagens observamos no pulmão granulomas cisticos contendo larvas L3 integras ou em início de degeneração, dos 45 aos 210 dias de infecção; entretanto, camundongos B10.A apresentaram formação precoce (60 dias após infecção) de infiltrados inflamatórios focais sem presença de larvas L3 no pulmão, quando comparados aos animais da linhagem C57BL/6 (120 dias após infecção). A análise de sobrevida durante 360 dias de infecção em ambas as linhagens, demonstrou que camundongos B10.A (44%) sobreviveram um pouco mais do que os camundongos C57BL/6 (39%), sendo esta diferença estatisticamente significativa. Estes dados evidenciam que animais B10.A são pouco mais resistentes à infecção por L. minor que camundongos C57BL/6, mas esta diferença é estatisticamente significativa; e que animais das duas linhagens podem atuar como hospedeiro definitivo e intermediário na infecção experimental.
Bibliographical Information:

Advisor:Ana Paula Junqueira Kipnis; Mara Silvia Carvalhaes

School:Universidade Federal de Goiás

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:helmintiase lagochilascaris minor medicina resistênciahelmintíase susceptibilidade camundongo como animal delaboratóriolagochilascaris

ISBN:

Date of Publication:03/31/2006

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.