Details

Comicidade e língua portuguesa na primeira metade do século XIX no Brasil

by Nogueira Júnior, José Everaldo

Abstract (Summary)
A tese que ora apresentamos está situada no âmbito da Historiografia Lingüística etem por objetivo geral examinar a relação das marcas lingüísticas e históricas com afunção social da comédia. Por sua vez, o objetivo específico é o de verificar, nascomédias de Martins Pena, marcas lingüísticas e históricas capazes de revelar não sóaspectos sociais merecedores de punição pelo riso, mas também aspectos da língua e dahistória do Brasil na primeira metade do século XIX.O contexto histórico que envolve o Brasil nas primeiras décadas de 1800 éespecialmente significativo para a compreensão das representações sociais em relação àlíngua e à identidade brasileira, uma vez que o país passa pelo processo deIndependência política. Nesse sentido, torna-se um período que desperta o interesse decomo se encontrava a língua em uso naquele momento - sobretudo, em relação aoportuguês de Portugal - e o que, por meio dela, circulava socialmente.Nesse sentido, justifica essa pesquisa o desejo de compreensão dos fatoreslingüísticos e históricos que marcavam a sociedade brasileira no momento da consecuçãode nossa autonomia política. Não poderíamos, pois, escolher como corpus textos aindaimportados da Europa nem textos explicitamente filiados à cultura clássica, como os quecirculavam pelo Brasil nos finais do século XVIII e início do XIX, a despeito do movimentoromântico que começava a tomar corpo entre nós. Assim é que selecionamos ascomédias de Martins Pena, a fim de examinar nelas a relação das marcas lingüísticas ehistóricas com a função social da comédia. Esse autor foi, em seu tempo, o que primeiro eo que mais escreveu sobre a realidade brasileira, valendo-se, para tanto, de umalinguagem coloquial representativa do português então em uso.A análise da língua representada nas comédias de Martins Pena pode ser capaz deconfirmar nossas hipóteses, segundo as quais, na relação entre marcas lingüísticas ehistóricas, as comédias fazem mais do que revelar situações passíveis de punição pelo riso: elas se configuram como documentos capazes de trazer à luz a língua e a história dohomem. Dessa maneira, a representação da língua presente nelas pode revelar em quemedida o português em uso no Brasil se distancia da norma lusitana.Como nosso trabalho implica uma volta ao passado de nossa história e umposterior retorno ao nosso tempo presente, apoiamo-nos teoricamente nos fundamentosda Historiografia Lingüística, entendida como uma maneira, regida por princípios deescrever tanto a história do estudo da linguagem, quanto a de uma língua particular.Metodologicamente, a prática historiográfico-lingüística sugere a aplicação de trêsprincípios: o da contextualização, o da imanência e o da adequação. Se pelo primeirobusca-se a compreensão dos fatores histórico-contextuais que envolvem um dadodocumento, pelo segundo, procura-se analisar o documento histórica e criticamente. Porsua vez, pelo princípio da adequação, pretende-se atualizar os resultados obtidos pormeio da aplicação dos dois princípios anteriores.A análise historiográfico-lingüística dos textos de Martins Pena levou-nos aperceber que as marcas lingüísticas e históricas presentes neles ampliam a função socialda comédia no sentido de torná-la um documento revelador do homem, de sua língua e sua história. Especificamente em relação aos aspectos lingüísticos, a análise levou-nos a perceberque o português em uso no Brasil, na primeira metadedo século XIX, não sóapresenta pouco distanciamento da norma lusitana então vigente, como também trazdiversas características de épocas remotas do português
Bibliographical Information:

Advisor:Jarbas Vargas Nascimento

School:Pontifícia Universidade Católica de São Paulo

School Location:Brazil

Source Type:Master's Thesis

Keywords:lingua portuguesa pena martins 1815 1848 critica e interpretacao linguistica historiografia comedia riso na literatura

ISBN:

Date of Publication:11/30/2005

© 2009 OpenThesis.org. All Rights Reserved.